A Prefeitura de Seberi, através da Secretaria de Agricultura, em parceria com a Agropecuária O Pecuarista, Posto da Car, Emater/RS-Ascar, Agroveterinária Seberi, Laticínios Seberi e Universidade Regional Integrada (URI) – campus de Frederico Westphalen, promoveu ontem, 5 de agosto, na linha Lajeado Pôncio, do 2º Seminário do Leite, cerca de 150 pessoas participaram do evento deste ano.

Segundo o secretário-adjunto da Agricultura, Valmor de Moura, o evento é extremamente importante para o município, pois, além de potencializar e aprimorar cada vez mais as novas técnicas de manejo, possibilita o aumento da qualidade do leite. 

“O dia foi voltado ao produtor de leite do município. Não adianta você adquirir uma vaca de grande custo se você não fornece nutrição e pastagens que ela precisa. Dessa forma, realizamos o evento para discutirmos e mostrarmos as novas técnicas de nutrição animal, através da genética, das pastagens, da irrigação e de uma boa qualidade da água. Podemos frisar que foi um dia de muito aprendizado –, ressaltou Moura.

Segundo Moura, oito empresas de laticínios recolhem leite de produtores no município de Seberi. Então, desta forma, são disponibilizados diversos programas aos produtores que buscam aperfeiçoamento e aprimoramento para sua propriedade.

Debates

Durante o encontro, os produtores participaram de seminários, onde foram apresentadas as novas técnicas de produção e manejo de pastagens. Foram apresentadas palestras sobre “Cenário e perspectivas da atividade leiteira”, “Planejamento de forrageiro na produção do leite a pasto”, “Influência da fertilização do solo na produção de leite com pastagens perenes”, “Conservação de solo e água e manejo conservacionista da fertilidade do solo”, “Irrigação, manejo e tipos e vantagem”, além da palestra sobre prática sobre irrigação.

O Seminário é uma das ações para fomento da cadeia produtiva do leite. No município de Seberi, a produção leiteira é uma das atividades agropecuárias mais importantes. A bovinocultura comercial envolve mais de 360 famílias, com uma produção média mensal de um milhão de litros de leite.

O cenário atual e as perspectivas da atividade leiteira foram temas apresentados pelo assistente técnico regional em Sistemas de Produção Animal, Valdir Sangaletti. Segundo ele, a atividade leiteira tem crescido consideravelmente nos últimos anos. A variação entre a produção de leite no Brasil, de 2000 a 2012, atingiu 119% de crescimento. No RS, dos 497 municípios, 467 produzem leite. 

De acordo com o relatório socioeconômico da cadeia produtiva do leite no RS, na região administrativa da Emater/RS-Ascar de Frederico Westphalen, envolvendo os 42 municípios da região Médio Alto Uruguai e Rio da Várzea, o volume de leite produzido ultrapassa os 480 milhões de litros. É uma das regiões que mais produz, sendo que, grande parte da produção, é vendida para indústrias, cooperativas, queijarias, entre outras.