População poderá acessar informações via internet Coletar dados sobre as árvores do perímetro urbano é a tarefa que equipes coordenadas pela Secretaria de Meio Ambiente começam a empreender a partir deste mês em Frederico Westphalen. O Centro será o primeiro bairro a passar pelo mapeamento. Informações como nome científico da espécie, número do domicílio mais próximo e condições das raízes vão compor o censo florestal, que tem o objetivo de apontar que tipos de problemas relacionados à posição das árvores existem e direcionar a soluções adequadas, a fim de promover o bem-estar da população. “Tudo isso vai ser levantado para que cada árvore receba um manejo específico. A altura dos galhos, por exemplo, é um fator muito importante, porque pode acontecer de alguém estar caminhando pela rua e se enroscar nos ramos de alguma árvore, assim como as raízes podem elevar trechos das calçadas e prejudicar o acesso, principalmente de cadeirantes, e a distância das árvores em relação a edificações, à rede de energia elétrica ou às esquinas, para não prejudicar a visibilidade dos motoristas”, explicou o secretário do Meio Ambiente, Ivan Viana. O projeto iniciou em 9 de dezembro de 2013. Acadêmicos de Engenharia Florestal e Ciências Biológicas dos campi locais da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e Universidade Regional Integrada (URI) – campus de Frederico Westphalen, respectivamente, estão fazendo um treinamento para que a coleta das informações seja realizada de maneira uniforme. Eles também farão as podas e o manejo da vegetação, e trabalharão em duplas formadas por um estudante de cada curso. “Pode haver casos em que teremos de transferir árvores de um lugar para outro. Primeiramente, faremos o levantamento e o estudo, e procuraremos colocar o exemplar onde não há”, explicou o secretário. Posteriormente, as informações serão disponibilizadas para acesso público via internet. Cada morador poderá visualizar um mapa e saber a que espécies pertencem as árvores em frente a sua casa, suas características ou quando deverão ser podadas. O mesmo sistema também está sendo implementado para as bocas de lobo do município. Triturador móvel No dia 26 de dezembro, chegou ao município um equipamento que pode reduzir em até dez vezes o volume de restos vegetais, como folhas, galhos e pedaços de madeira, resultantes das podas de árvores, que geralmente são feitas para eliminar parasitas ou fungos das plantas. A máquina deve diminuir consideravelmente a quantidade de resíduos que são depositados em uma área situada na linha Iraí, próximo ao antigo Aterro Sanitário. O triturador móvel servirá também para diminuir os detritos que já estão no local, visando aumentar o espaço disponível. Depois de triturado, esse material será compostado e retornará às praças e canteiros de ruas em forma de adubo orgânico.

Cristiane Luza