Após algumas semanas e muitos debates na Assembleia Legislativa, na sessão dessa terça-feira, 13, com 49 votos favoráveis e 1 contrário, foi aprovado o Projeto de Lei (PL 482 2015), que revoga a Lei nº 7.285, de 23 de julho de 1979, que retira a pensão vitalícia de ex-governadores. Apesar da aprovação, o projeto ainda depende da sanção do governador Eduardo Leite. O deputado Pedro Pereira (PSDB), autor da proposta, salienta que o estado desembolsa R$ 32 mil por mês com o pagamento destas pensões, totalizando, R$ 6 milhões ao ano. Pereira lembra que dos 27 estados brasileiros, apenas o Rio Grande do Sul e mais oito estados, pagam esse tipo de pensão:

- Isto é uma vergonha, isto é imoral, isto é uma aberração. São nove ex-governadores e quatro viúvas que recebem mensalmente, cada um, mais de R$ 32 mil e com direito ao 13° salário. É uma oportunidade de mostrar quem é quem e quem está ao lado do povo ou não -, destaca Pedro Pereira, autor do projeto.

Ainda na sessão desta terça, foram apresentados dois substitutivos à proposta, um já retirado na semana passada pelos autores, Mateus Wesp (PSDB). O que foi apresentado nesta, de autoria de Gilberto Capoani (MDB) e outros dez parlamentares, e que previa o pagamento de seis meses de pensão ao fim do mandato, recebeu 26 votos contrários e 23 favoráveis, sendo rejeitado.