Pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde revela que, pela primeira vez em oito anos consecutivos, o percentual de excesso de peso e de obesidade se manteve estável no país. A pesquisa Vigitel 2013 (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico) indica que 50,8% dos brasileiros estão acima do peso ideal e que, destes, 17,5% são obesos. 

Os resultados do estudo cessam a média de crescimento de 1,3 ponto percentual ao ano que vinha sendo registrada desde a primeira edição, realizada em 2006 – quando a proporção de pessoas acima do peso era de 42,6% e de obesos era de 11,8%.

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, pondera sobre a estatística. "O aumento do consumo de hortaliças e da atividade física são fatores determinantes para uma sociedade mais saudável. Mas, ainda é preciso observar a sequência nos próximos anos para podermos afirmar com consistência se há uma estabilização do crescimento da obesidade e do sobrepeso", disse o ministro.

A proporção de obesos entre homens e mulheres é a mesma: 17,5%. No entanto, em relação ao excesso de peso, os homens acumulam percentuais mais expressivos, 54,7% contra 47,4% das mulheres. 

As mulheres com maior escolaridade são menos obesas que as com menor tempo de estudo. Esse dado indica que a escolaridade se mostra um forte fator de proteção entre o público feminino.

O percentual de excesso de peso entre as mulheres com até oito anos de estudo é de 58,3%. Já entre as mulheres com escolaridade de no mínimo 12 anos, esse percentual cai para 36,6%. A prevalência de obesidade também cai pela metade entre esses dois grupos de mulheres, atingindo 24,4% e 11,8%, respectivamente.

O índice ainda é muito alto

A pesquisa mostrou um aumento no consumo de frutas e hortaliças, 18%. Segundo o ministério, atualmente, 19,3% dos homens e 27,3% das mulheres comem cinco porções por dia de frutas e hortaliças, quantidade indicada pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Apesar do aumento do consumo de alimento saudáveis, o indicador mostrou que 16,5% dos brasileiros substituem diariamente o almoço ou jantar por lanches, como pizzas, sanduíches e salgados; 23,3% dos brasileiros ingerem refrigerantes, no mínimo, cinco dias por semana; mais da metade da população consume leite integral (53,5%), e 31% consomem carnes gordurosas e alimentos com gordura saturada.

A Vigitel retrata os hábitos da população brasileira e funciona como fonte para o desenvolvimento de políticas públicas de saúde preventiva. Nesta edição, a pesquisa teve uma amostra de 53 mil entrevistados nas 26 capitais brasileiras e Distrito Federal. As entrevistas foram feitas por telefone ao público maior de 18 anos. 

Homens estão mais gordos

Homens acima do peso 54,7%

Mulheres acima do peso 47,4%

 

Igualdade na obesidade 

Homens obesos 17,5%

Mulheres obesas 17,5

 

Mulheres estudadas são mais magras

Excesso de peso até oito anos de estudo 58,3%

Excesso de peso no mínimo 12 anos de estudo 36,6%

 

Obesidade até oito anos de estudo 24,4%

Obesidade no mínimo 12 anos de estudo 11,8%

 

Hábitos que engordam o brasileiro

16,5% Substituem o almoço ou jantar por lanche 

31,0% Comem carne com excesso de gordura 

53,5% Consomem leite integral regularmente 

23,3% Ingerem refrigerante cinco vezes por semana, no mínimo

Praticam hábitos alimentares saudáveis 

36% Consomem frutas e hortaliças regularmente

23,6% Ingerem a quantidade de frutas e hortaliças recomendada pela OMS (5 porções/dia)

Gislene Goulart