Baixas temperaturas voltaram a fazer parte do cotidiano dos gaúchos nos últimos dias, com a proximidade do inverno. Anualmente, poder público e entidades unem forças para arrecadar doações às famílias que precisam de ajuda para enfrentar o frio.

Em 2019, o governo do Rio Grande do Sul antecipou para maio o início das coletas da Campanha do Agasalho para que os beneficiados possam se prevenir. Nos anos anteriores, tradicionalmente as atividades começavam em junho ou julho.

Além de alimentos não perecíveis, são aceitos, até 31 de agosto, cobertores, calçados e roupas, principalmente infantis, que estejam limpos e em bom estado de conservação.

No Estado, a Defesa Civil se encarrega de fazer a triagem, a organização e a distribuição do que for recolhido a pessoas necessitadas, entidades beneficentes e vítimas de desastres naturais.

De acordo com o coordenador regional da Defesa Civil, major Carlos Aguiar, todos os municípios estão sendo convidados a aderir à mobilização estadual. "Pedimos que as pessoas nos ajudem, separem o que não usam mais nos armários e tragam", pontuou.

Das cidades atingidas pelas chuvas no último fim de semana, somente Caiçara teve desalojados, cinco famílias. Já Iraí, Ametista do Sul e Alpestre registraram danos materiais.

Pontos fixos de coleta

• Quartéis da Brigada Militar

• Quartéis do Corpo de Bombeiros

• Coordenadoria Regional da Defesa Civil (Em FW, na rua Marcílio Dias, Centro)

• Prefeituras

• Farmácias São João

• Unidades do Sesc