Prestes a prestar novo depoimento à Polícia Civil neste sábado, 27, a mãe de Rafael Winques, Alexandra Dougokenski, poderá ser indiciada por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver. O diretor do Departamento de Polícia do Interior (DPI), delegado Joerberth Nunes, concedeu entrevista a rádio Seberi e afirmou sobre as contradições apresentadas no inquérito.

- Existem várias contradições entre o que a mãe alega e as várias provas judiciárias contra ela. Estamos fazendo uma análise detalhada para cumprir o inquérito e, sem sombra de dúvida o indiciamento será por homicídio doloso, até o momento, duplamente qualificado -, frisou.

O delegado também disse que, ao longo da investigação, foi descartada a hipótese de que Alexandra teve auxílio no crime. “Por ora, ela realmente agiu sozinha, e pela própria reconstituição que fizemos. Todo o trajeto, desde o momento que ela mata a criança em cima da cama e leva até a caixa de papelão na casa vizinha, é possível sim que ela tenha praticado isso sozinha”, explicou durante a entrevista.

Sobre a motivação, o diretor do DPI afirmou que a motivação do crime deve ser divulgada pela Polícia Civil nos próximos dias, já que os investigadores acreditam ter sido algo premeditado. “Não trabalhávamos ainda com hipótese de homicídio, por isso não fizemos a busca em cada residência. Temos elementos contundentes, que ela planejou o crime, ela premeditou o crime e isso está comprovado na nossa investigação. Mas não foi algo de momento”, disse.

Com a prorrogação da prisão temporária de Alexandra por mais 30 dias, os policiais têm até o julho para concluir o inquérito.