Em reunião realizada na noite desta segunda-feira, 23, o Conselho Diretor do MTG decidiu rejeitar proposta feita pelo conselheiro Jorge Soares, no sentido de prorrogar mandato da presidente, diretoria, conselho, coordenadores regionais e patrões. O argumento era de que os gestores não tiveram condições de realizar seu trabalho por causa da pandemia e que os principais eventos foram adiados para 2021.

A presidente do MTG, Gilda Galeazzi, já havia manifestado, publicamente ser contra a medida. Também foi posta em discussão a proposta do conselheiro Manoelito Savaris, de que as eleições que ocorrem no Congresso previsto para fevereiro, em Canoas, possam ocorrer presencialmente em cada uma das 30 Regiões Tradicionalistas. O vice-presidente Campeiro, Adriano Pacheco, também seguiu a linha da regionalização, mas propôs votação online, através de uma plataforma segura.

“Vamos elaborar, através da diretoria, uma nova proposta para ser avaliada. A realização presencial do Congresso, seja em Canoas ou nas regiões, dependeria da evolução da pandemia. Se fosse hoje, sua execução seria inviável. Não podemos colocar em risco a saúde dos nossos tradicionalistas, principalmente porque muitos deles fazem parte do grupo de risco para a Covid-19”, afirma a presidente Gilda Galeazzi.

*Com informações