Uma nova onda de Covid-19 já é tratada como realidade na região e vista com muita preocupação pela 19ª Coordenadoria Regional de Saúde (19ª CRS). Entretanto, a baixa retirada de testes para a doença é o que mais vem gerando apreensão no comando da regional. 

A 19ª CRS integra o programa desenvolvido pelo governo do Rio Grande do Sul, “RS Testar”, em que fornece, gratuitamente, testes para a detecção de Covid-19, mas, segundo a coordenadora da regional, Marly Vendruscolo, além da baixa adesão dos municípios, também há a percepção de falta de informações nas unidades de saúde. 

– Lá no começo da pandemia, os pacientes tinham que pagar em torno de R$ 250 nesse exame, e hoje ele é gratuito. Nós estamos vendo essa pouca adesão. Municípios pegando a quantidade mínima de testes, e entendemos que muito mais população poderia ser testada se soubesse que o teste é gratuito para as pessoas que apresentam algum sintoma – esclareceu.

Marly ainda exemplificou que a baixa adesão acontece por possíveis “penalidades” do distanciamento controlado. “Por exemplo, eu não quero divulgar porque a bandeira vai mudar, vai restringir o comércio e o que temos observado é a falta de divulgação para que o município não sofra penalidades. A questão política influencia muito nessa questão. O teste está aí, à vontade, não tem custo, é rápido e seguro”, frisou.

O RS Testar foi apresentado aos municípios por meio de videoconferência que, segundo a 19ª CRS, contou com representantes de todas as cidades de abrangência, e não há procedimentos burocráticos para a retirada de testes. Conforme a farmacêutica bioquímica e responsável pelo programa na regional, Silvia Hartmann, os municípios só precisam de uma caixa com termômetro para transportar os testes. “Não existe cadastro, nada. Ele [o município] diz que quer 300 mil, 5 mil, e leva. Temos a quantidade que quiserem aqui”, frisou.

Até o fechamento desta edição, 14 municípios haviam retirado testes para aplicar na população. Estes que efetuaram a retirada, possuem uma população  total de 90.049 pessoas, sendo que o número de testes retirados foi de 2.160. Isso significa que há a possibilidade de testar apenas 2,4% da população, por meio deste programa.

Falta de divulgação

Apesar do fácil acesso aos testes, a baixa adesão ainda é atribuída pela 19ª CRS à falta de detalhes repassados aos profissionais da saúde. Segundo Silvia Hartmann, há pessoas que ligam na coordenadoria para saber se o teste é pago no posto de saúde. “Muitas pessoas não estão buscando porque acreditam ter que pagar e o que eu percebo é que os próprios profissionais de saúde não estão sabendo do RS Testar, não por falta de conhecimento à informação, mas por falta do gestor divulgar isso para os médicos. Todos os municípios tiveram ao menos um representante e ficaram responsáveis por repassar aos outros profissionais”, frisou. 
Caso a pessoa sinta algum dos sintomas, pode buscar a unidade de saúde quantas vezes quiser. “A pessoa pode ter o sintoma hoje, buscou atendimento, fez o teste e deu negativo, amanhã, eu posso me contaminar. Eu não posso me basear pelo fato de que ‘ah hoje deu negativo’, amanhã é outro dia. Não tem limites, toda a população tem direito aos testes”, esclarece Silvia.

Critérios para realizar o teste

Apenas dois critérios foram estabelecidos para quem quiser realizar o teste em uma unidade de saúde. O primeiro, deve estar com sintomas gripais, como dor de cabeça, febre, tosse, espirros. O outro, é ter contato com alguém que foi infectado pelo vírus, o chamado contactante. “Contactante é a pessoa que teve algum contato, deu a mão, fez o uso de um copo. Temos visto que as pessoas relaxaram, tu chega à tardinha em algumas residências e as pessoas estão compartilhando chimarrão entre todos. Houve um relaxamento na questão da prevenção”, explicou Marly Vendruscolo.

*Municípios que retiraram testes:

Alpestre – 100

Ametista do Sul – 150

Caiçara – 50

Cristal do Sul – 20

Derrubadas – 20

Erval Seco – 20

Esperança do Sul – 20

Frederico Westphalen – 900

Novo Tiradentes – 20

Palmitinho - 10

Seberi – 350

Tenente Portela – 200

Três Passos – 200

Vicente Dutra – 100

 

*Números encaminhados até quarta-feira, 18