Ontem, 13, foi comemorado o Dia Mundial do Rim, data em que especialistas de todo o mundo se engajam na conscientização dos cuidados com os rins, fatores de risco e diagnóstico precoce da Doença Renal Crônica (DRC). A data é celebrada sempre na segunda quinta-feira do mês de março, e há mais de dez anos, a Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN) coordena as atividades da campanha no país.

Neste ano o tema da campanha foi “1 em 10. O Rim envelhece, assim como nós”, para destacar os índices da doença que atinge 10% da população, principalmente pessoas com idades acima dos 65 anos. 

Segundo a SBN, a doença é caracterizada pela perda progressiva e irreversível das funções renais e é importante observar os fatores de risco como hipertensão arterial, diabetes melitus, obesidade, tabagismo e histórico familiar de doença renal. Entre as consequências da doença renal, está a mortalidade por doença cardiovascular e a necessidade da Terapia Renal Substitutiva (hemodiálise, diálise peritoneal e transplante).

Saiba mais

Conforme dados da SBN, cerca de 100 mil brasileiros estavam em processo de diálise no ano de 2012. Desses pacientes, 30% eram idosos e 90% faziam hemodiálise. Mas o índice de mortalidade é preocupante, chegando a 15% ao ano.

Além disso, o custo do tratamento financiado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) chega a R$ 2,2 bilhões por ano e, portanto, as campanhas ressaltam a importância da prevenção das doenças renais.

As pessoas que apresentarem qualquer sintoma de doenças nos rins e vias urinárias precisam procurar orientação médica para o diagnóstico precoce e tratamento adequado, pois a taxa de mortalidade ainda é alta devido ao tratamento tardio da doença.

Prevenção

Medidas simples podem evitar as doenças renais, como controle da dieta, evitando excesso de sal, carne vermelha e gorduras. O uso adequado de medicamentos é fundamental na prevenção, pois alguns remédios agridem os rins se consumidos em quantidades sem orientação médica.

Outra maneira de evitar problemas nos rins é fazer exames periódicos para avaliar níveis de proteína na urina e dosagem de creatinina no sangue.

Estatísticas da Sociedade Brasileira de Nefrologia indicam que pacientes idosos, portadores de doenças cardiovasculares e pessoas com histórico familiar de doença renal têm mais chances de desenvolver lesões nos rins e precisam de acompanhamento médico e realização de exames preventivos de rotina.

Sinais de alerta

• Pressão Alta 

• Diabetes 

• Dificuldade de urinar 

• Queimação ou dor ao urinar 

• Urinar muitas vezes, principalmente à noite 

• Urina com aspecto sanguinolento

• Urina com muita espuma

• Inchaço ao redor dos olhos e nas pernas 

• Dor lombar 

• Histórico de pedras nos rins 

Natalia Nissen