Tiveram continuidade nessa sexta-feira, 19, a programação do Seminário, promovido pela Universidade Regional Integrada (URI), Fundação para o Desenvolvimento de Recursos Humanos (FDRH) e Emater/RS-Ascar. Hoje, 31 projetos desenvolvidos por alunos de especialização, que foram divididas em 11 temáticas relevantes, entraram em debate sobre o Desenvolvimento Rural e os desafios da agricultura familiar. O encontro acontece no auditório do campus da URI em Frederico Westphalen.

Durante o encontro foram tratados as seguintes temáticas, pecuária familiar, extensão rural, questões sociais e de gênero, cooperativismo e associativismos, sustentabilidade e culturas alternativas e desenvolvimento rural, nos 31 trabalhos apresentados. Logo após a apresentação de cada temática, permitia-se o debate sobre o assunto com o público geral. Dentre elas a palestra sobre a temática de extensão rural, ministrada pelo mediador Luis Alberto Cadoná, e pelos alunos de especialização, Vanessa Gnoatto, Carine Dalla Valle e Marco André Junges visaram os processos educativos associados a prática da educação ambiental frente as ações dos extensionistas rurais da Emater/RS-Ascar, na região noroeste e no município de Frederico Westphalen.

Extensão Rural são serviços de educação ambiental, no meio rural, que promovem processos de gestão, produção, beneficiamento e comercialização das atividades e dos serviços agropecuários e não agropecuários, inclusive das atividades agroextrativistas, florestais e artesanais. No Brasil ela surgiu na década de 40, e no Rio Grande do Sul ela surge na década de 50 para fomentar ainda mais a agricultura. O espaço rural brasileiro envolvem mais de 70 milhões de pessoas e está presente em 5.052 municípios em todo país. A educação ambiental vem cada vez mais sendo incorporada como prática inovadora em diferentes âmbitos, voltada tanto para economia, cultural e socioambiental. Não seria possível separar a agricultura familiar e meio ambiente, já que toda propriedade rural possui uma importante reserva de diversidade da fauna e flora brasileira. Esse projeto de extensão rural tem como principal objetivo de compreender e interpretar as práticas e percepções da educação ambiental, entre os extensionistas rurais da Emater/RS-Ascar que visam contribuir e fortalecer.

O fator importante dessa temática ambiental segundo Marco André Junges, “é preciso que os agricultores interajam na natureza de modo mais sustentável e isso se quer que as pessoas se conscientizem da importância da educação ambiental. A extensão rural é mais educação que assistência técnica, por isso a educação ambiental está no dia a dia de um extensionista, trabalhando com algumas noções de agroecologia”, destacou Junges.

A região de Frederico Westphalen vem sofrendo com vários problemas ambientais, tais como a falta de uma política clara de preservação ambiental, de ter mais leis rígidas para punir crimes ambientais. Dentre os mais graves estão o uso abusivo indiscriminado de agrotóxicos, muitas vezes sem necessidade, e o principal ainda são o uso de venenos, além da poluição de mananciais de água, matas ciliares e lixões a céu aberto.

O Seminário de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar que começou ontem, teve seu encerramento na tarde de hoje. O evento buscou debater os temas referentes ao desenvolvimento rural, com apresentações de trabalhos de conclusão que foram produzidos por alunos a partir da especialização promovida pela Escola de Governo em parceria com a URI e Emater/RS-Ascar.

 

Renato Padilha rural@folhadonoroeste.com.br