A Embrapa lançou uma cultivar de feijão carioca, a BRS FC104, que é a primeira superprecoce da leguminosa produzida pela instituição. A variedade tem ciclo de apenas 65 dias, entre a semeadura e a maturação dos grãos, com potencial de produção entre 3,8 e 4 toneladas por hectare. Normalmente, um feijão tem ciclo médio de 90 dias, embora existam cultivares mais precoces, com ciclos em torno de 75 dias.

O menor ciclo do novo feijão representa vantagem competitiva para o agricultor. A BRS FC104 pode ser inserida em ambientes, cujo ciclo curto seja desejável. Pode ser para o plantio antecipado na época das águas e no inverno, escapando das doenças de solo, além de diminuir o risco de perdas por estiagens na safra de verão. É também um trunfo para dinamizar a rotação de culturas em áreas agrícolas, com a introdução do cultivo do feijão.

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, disse que essa nova variedade vai permitir que o brasileiro consuma feijão de forma muito mais barata, com três ou quatro safras por ano.

*Embrapa