15% dos casais em idade reprodutiva encontram dificuldades para ter filhos   Muitas pessoas resolvem ter filhos, abrem mão de métodos anticoncepcionais para que este sonho aconteça, mas muitas vezes a visita da cegonha pode demorar muito para acontecer e calcula-se que cerca de 15% dos casais em idade reprodutiva encontrem algum tipo de problema para obter uma gravidez natural. Os médicos costumam considerar como problemas para engravidar após um ano de tentativas não sucedidas (em mulheres com mais de 35 anos) ou seis meses (acima de 36 anos) As causas para a demora em conseguir engravidar são múltiplas, a origem da infertilidade está dividida em 30% de causas femininas, 30% causas masculinas e 40% de ambas as partes. Isto significa que tanto a mulher quanto o homem podem apresentar simultaneamente alterações que provocam o quadro de infertilidade.    Infertilidade masculina   As causas da infertilidade masculina podem ser genéticas, ou idiopáticas, ou seja, desconhecidas pela medicina. As causas variam de dificuldades em ter relações sexuais ou a ausência total de espermatozoides no sêmen.    Varicocele: doença caracterizada pela dilatação das veias testiculares. Gera um aumento crônico de temperatura testicular, causando prejuízos na produção e na qualidade dos espermatozoides produzidos.   Alterações Hormonais: baixa produção de espermatozoides ou a produção inadequada podem ocorrer devido a problemas hormonais (produzidos pela hipófise).   Tratamento quimioterápico: certos medicamentos usados no tratamento do câncer podem causar a infertilidade. E também o uso de anabolizantes pode diminuir a produção de espermatozoides.    Infertilidade feminina   Os três grandes fatores que causam a infertilidade feminina estão ligados a fatores ovulatórios, tubários e a endometriose.   Mioma: são tumores uterinos benignos, formados por tecidos musculares. Este problema ocorre em até 50% das mulheres que se encontram no período reprodutivo. Esta doença pode não apresentar nenhum tipo de sintoma, ou dores abdominais e aumento no volume do abdômen e no fluxo menstrual.    Endometriose: presença do tecido endometrial fora da cavidade uterina. Os sintomas mais comuns são dores pélvicas, associadas a atividade sexual ou ciclo menstrual. A cada ciclo menstrual o tecido que está na cavidade abdominal se desprende gerando a endometriose e afetando o funcionamento adequado de vários órgãos, como ovários, tubas uterinas, intestino e bexiga.    Ovários policísticos: as mulheres que apresentam a síndrome dos ovários policísticos não ovulam todos os meses, por isso encontram mais dificuldades de engravidar. Esta síndrome pode gerar um atraso ou a ausência do ciclo menstrual, aumento da oleosidade no corpo, e aumento considerável dos pelos.    Lesões nas trompas: bloqueios ou obstruções nas trompas resultam no impedimento do espermatozoide de chegar até o óvulo.  Box  Formas de tratamento:  O tratamento será indicado após o diagnóstico médico para detectar o problema do casal. Os tratamentos mais simples, como mulheres que não ovulam mensalmente ou homens com algumas infecções, são realizados através de medicamentos, ou em casos mais sérios através de uma reprodução assistida.