Os dias na Escola Municipal de Educação Infantil Ceci Capoani de Frederico Westphalen são diferentes aos de outras escolas do município. Isso porque um casal de garnisé faz com que a rotina no educandário seja ainda mais divertida. Ente os risos e conversas das crianças, o som que sobressai é o cacarejo dos animais que circulam livremente pela escola.

Conforme a diretora do educandário, Cleciane Azevedo, o motivo dos animais morarem na escola tem um objetivo importante: combater os escorpiões que apareciam em grande quantidade no local. “Quando apareceram os escorpiões, fizemos dedetização para tentar combater, mas não deu certo, porque os animais continuavam aparecendo. Sabendo da nossa situação, o pai de um aluno que mora no interior sugeriu que criássemos garnisé, que é o predador natural do escorpião. Desde então eles fazem parte da nossa rotina”, revelou a diretora.

A escola já chegou a ter oito garnisés, no entanto, um cão invadiu a escola e restou um. Mas há cerca de dois meses, a escola ganhou um casal. Eles se adaptaram tão bem a nova casa que nos próximos dias a família deve aumentar. Em um canteiro de flores, o casal cuida de uma ninhada com sete ovos. “Acredito que quando chegar a uns dez ovos, a fêmea comece chocar os ovos e em torno de 20 dias já teremos pintinhos”, comemorou Cleciane.

Os garnisés, além de combaterem insetos e escorpiões de forma eficaz, também servem como referência para aulas de educação ambiental. “As crianças estão acostumadas com eles e os adoram”. Prova dessa interação veio dos alunos Henry Barro, Vitória da Costa e Kaue Cardoso, todos de 4 anos, que enquanto o jornal Folha fazia a reportagem, se aproximaram dos animais sem medo.

Conforme a diretora, o último escorpião encontrado na escola foi no início do ano passado. “Fizemos um teste que apontou que ele não é da espécie venenosa”. 

Ana Paula Tamiozzo jornalismo@folhadonoroeste.com.br