Durante operação denominada "O Silêncio dos Inocentes", deflagrada na manhã desta terça-feira, 9 de dezembro, policiais civis de Caçapava do Sul prenderam o ex-padre João Marcos Porto Maciel, suspeito de ter violentado sexualmente crianças e adolescentes.

Com duas passagens por Frederico Westphalen, Dom Marcos, como é conhecido popularmente, dirigiu o Coral dos Meninos Cantores da Catedral em 1963, e voltou ao município em 1971, após ir para a Espanha.

O ex-padre foi excomungado da Igreja Católica e expulso da Igreja Anglicana devido às denúncias das vítimas. Uma delas escreveu um livro no qual relata com detalhes os abusos.

Dom Marcos foi preso em Caçapava do Sul, no local onde funciona uma congregação fundada por ele mesmo para receber menores de idade em situação de vulnerabilidade social.

Os policiais ainda apreenderam durante a ação duas armas de fogo, computadores e mídias que serão analisadas pela perícia. O suspeito é acusado de estupro de vulnerável, prescrição ilegal de drogas e racismo, tendo em vista os relatos de uma das vítimas de que o ex-padre tratava as crianças negras de forma desigual e com castigos mais severos.

Sobre as denúncias

Conforme o delegado Fabrício de Santis Conceição, Dom Marcos é suspeito de ter abusado sexualmente de pelo menos seis vítimas, na época menores de idade. Dos seis, dois ainda não prescreveram.

No período em que teriam ocorrido os abusos, as vítimas faziam parte do convívio do ex-padre, com quem tinham aulas de músicas e participavam de outras atividades.

A operação recebeu o nome de "O Silêncio dos Inocentes" pelo fato de que as vítimas demoravam muito tempo para denunciar os abusos, por medo ou vergonha.

A investigação aponta que o suspeito, em alguns casos, dopava as vítimas e em outros passava a ideia de que os atos praticados por ele seriam um prêmio aos melhores alunos das aulas de música.

Uma vítima denunciou que Dom Marcos a ameaçava para que não falasse a respeito do assédio e dos abusos cometidos.

Cristiane Luza - policia@folhadonoroeste.com.br