1º de dezembro é considerado o Dia Nacional da Extensão Rural, em homenagem ao trabalho desenvolvido pelos extensionistas em todo o território brasileiro, que exercem papel fundamental de apoio à agricultura familiar e ao pequeno produtor. A Assistência Técnica e Extensão Rural, a Ater pública, está presente nos 26 estados e no Distrito Federal. São mais de 15 mil extensionistas em todo o Brasil, atendendo mais de 2 milhões de famílias rurais.

No Rio Grande do Sul, este trabalho gratuito é realizado pela Emater/Ascar-RS, que conta com uma central em Porto Alegre, onde estão as estruturas organizacionais, administrativas e de apoio técnico. Tem 12 regionais que prestam apoio aos 497 municípios do Estado.  Frederico Westphalen sedia uma regional da entidade, com seus assistentes técnicos e sociais para apoiar as 42 unidades operacionais distribuídas nas cidades que integram os Coredes Rio da Várzea e Médio Alto Uruguai.

– A extensão rural tem como objetivo, levar aos agricultores e à comunidade, estratégias de produção e desenvolvimento sustentáveis, com um olhar sobre o todo da propriedade rural, integrando a geração de renda, qualidade e preservação do meio ambiente, somadas às questões sociais. O seu papel é levar até o campo, as tecnologias e as ferramentas de produção geradas e desenvolvidas pela pesquisa, através de metodologias que garantam ao produtor, a compreensão dos processos e a adoção de práticas de forma gradativa e continuada, considerando aspectos econômicos e sociais da família –, avalia o gerente regional da Emater em FW, Luciano Schwerz.

Atividades

Nos escritórios municipais, todas as ações desenvolvidas são planejadas de maneira conjunta com as lideranças e a comunidade, a fim de atender a demanda local e elaborar  um planejamento estratégico para o desenvolvimento dos municípios e dos agricultores. Dentre as atividades realizadas destacam-se a orientação técnica através de visitas e consultas técnicas, dias de campo, seminários e reuniões nas mais diversas áreas de atuação.

Entre as áreas de atuação estão os sistemas de produção animal como bovino de leite, pecuária de corte, pesca artesanal, piscicultura, suinocultura, avicultura colonial, apicultura, entre outros; sistemas de produção vegetal como grãos, fruticultura, olericultura, silvicultura, sistemas agroflorestais, e outros; agricultura de base ecológica como produção de base ecológica e plantas bioativas (medicinais, aromáticas e condimentares); manejo de solos e água como práticas conservacionistas de solo e água; agregação de valor como agroindústria familiar, artesanato e turismo rural; apoio à gestão e à produção como cooperativismo e associativismo, gestão agrícola, irrigação e crédito rural.

Frederico Westphalen

O Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar de Frederico Westphalen foi instalado em 18 de agosto de 1959, e tem 61 anos de funcionamento. Tem papel de extrema relevância para a evolução do pequeno produtor rural, prestando assistência técnica e extensão rural de forma gratuita e contínua, levando conhecimento e transformação ao campo por meio de políticas públicas.

Quatro extensionistas atualmente integram a equipe do escritório municipal: Vera Izabel Cancian, assistente social, extensionista rural nível médio; Alécio Lapazin, técnico em agropecuária, extensionista rural nível médio; Mateus Stefanello, engenheiro agrônomo, extensionista rural nível superior, chefe do escritório e Jeferson Vidal Figueiredo, engenheiro agrônomo, extensionista rural nível superior.