Diante da preocupação com a continuidade do auxílio emergencial aos municípios, a Famurs solicitou aos senadores gaúchos uma atenção especial à pauta. O pedido foi realizado pelo presidente da entidade, Maneco Hassen, aos parlamentares Lasier Martins, Luiz Carlos Heinze e Paulo Paim na tarde desta segunda-feira (8/2).

Após deliberação em Assembleia Geral, realizada em janeiro com a participação de mais de 300 gestores, a Famurs pediu para que os senadores assumissem a pauta da manutenção dos auxílios, para que o benefício continue sendo pago aos municípios, cidadãos e empresas, em 2021.

Segundo o presidente da Federação, com o ritmo da vacinação, a crise causada pela pandemia deve se estender até o fim do ano e sem a prorrogação do auxílio o impacto econômico será ainda maior. “Para além do trabalho que os senhores já têm feito, pedimos que assumam essa pauta, defendam o RS pressionando colegas e o governo para que se estenda os três auxílios e, se não for possível, pelo menos o dos municípios”, solicitou Maneco.

Durante a reunião, Maneco expôs que entende a situação financeira do país, mas diante do atual cenário, de extrema necessidade, é preciso elencar prioridades. “É uma preocupação muito forte, ainda mais com a troca de gestores. Sentimos na pele o quanto estes auxílios foram importantes e fundamentais para a economia e fechamento de conta dos municípios”, justificou Maneco.

Em suas manifestações, os senadores se colocaram à disposição para auxiliar no desdobramento da pauta. Paulo Paim declarou que entende a necessidade do auxílio para injetar dinheiro na economia e que está animado com a fala dos novos presidentes da Câmara e do Senado, Arthur Lira e Rodrigo Pacheco.

Ao encontro, Lasier Martins afirmou que quer colaborar com a pauta, mas observou que, devido ao déficit dos cofres públicos, o Congresso Nacional e o governo federal precisam encontrar um denominador comum para garantir recursos para o pagamento do benefício.  

Pensando em uma solução para garantir recursos aos municípios, o senador Luiz Carlos Heinze propôs aos demais parlamentares um encontro com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco. O objetivo da reunião será para tratar da compensação do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e do ICMS, destinados aos cofres municipais. Heinze também informou que um novo decreto do governo federal deve autorizar os municípios a receberem um saldo de recursos da saúde no ano passado, na quantia de R$ 1,25 bilhões.

*Com informações da Famurs