A festa mais tradicional da Diocese de Frederico completa 88 anos na edição de 2021. Em seu livro Painéis do Passado, Monsenhor Vitor Batistella registra que a primeira festa de Santo Antônio, em 13 de junho de 1933, foi realizada na área em que hoje está o Sicredi. 

Com o passar dos anos, e cada vez mais com o envolvimento da comunidade, o Padroeiro da Paróquia da Catedral e da cidade de Frederico Westphalen segue sendo fonte de fé e devoção. 

Tanto a edição de 2020 como a deste ano provou que mesmo com a pandemia limitando as celebrações e não permitindo a festa no seu tradicional formato, a igreja se reinventou na forma de propagar a fé e consegue o respaldo dos fiéis e da comunidade. 

Com celebrações diária da Novena em três horários, transmitidas pelas redes sociais e pelas emissoras do Complexo Luz e Alegria, os fiéis puderam acompanhar com toda a segurança as celebrações.  

Neste domingo a festa do Padroeiro Santo Antônio movimentou desde cedo os fiéis. Celebrada pelo Bispo Diocesano Dom Antônio Carlos Rossi Keller, a Santa Missa desse domingo, dia 13, para participação presencial, o limite de público ficou em 25% da capacidade da Catedral. Acompanhe a Santa Missa no vídeo abaixo.

Em Frederico Westphalen a devoção ao Santo nasceu dos primeiros imigrantes com pequenas festas comunitárias. Sendo a primeira capela dedicada a Santo Antônio construída nos altos da rua do Comércio entre 1921 e 1925. Em 1928 a velha capela foi transportada para o local onde hoje está a Catedral. Outras construções no mesmo local também ocorreram até o início das obras da Catedral, em 18 de setembro de 1950.

História de Santo Antônio

Santo Antônio é o segundo santo com o maior número de devotos no Brasil, mas sua fama se consolidou como casamenteiro. Ele normalmente é representado em imagens, segurando o menino Jesus e, além de ser considerado um dos santos mais populares do Brasil, é também um dos mais importantes do Catolicismo.

A data de sua celebração é a mesma em que ocorreu o seu falecimento, – Santo Antônio morreu em Pádua, na Itália, em 13 de junho de 1231, com 36 anos.

Santo Antônio - ou Fernando Antônio de Bulhões - nasceu na cidade de Lisboa, em Portugal, no dia 15 de agosto de 1195. Aos 19 anos, foi contra a vontade de seu pai ao entrar para o Mosteiro de São Vicente dos Cônegos Regulares de Santo Agostinho, onde teve uma vasta biblioteca para incentivar seus estudos, dos quais gostava tanto.

Dois anos depois, o jovem foi transferido para o centro de estudo de Coimbra - um dos mais importantes de Portugal. Com dez anos de jornada em Coimbra, se tornou sacerdote graças ao seu amplo conhecimento e seu poder de pregação.

Ao longo de sua trajetória, Santo Antônio fez o pedido para ir a Marrocos pregar a palavra de Deus, mas no caminho foi acometido por uma doença que impediu que sua viagem se concretizasse. Na volta a Portugal, o barco acaba por ser desviado para Sicília, na Itália, onde ocorria um encontro de mais de cinco mil frades franciscanos - episódio conhecido como Capítulo das Esteiras. Lá, conhece pessoalmente São Francisco de Assis.

Em 13 de junho de 1230, com apenas 36 anos, Santo Antônio morre em Pádua, na Itália, motivo pelo qual ele passou a ser conhecido como Santo Antônio de Pádua - além de Santo Antônio de Lisboa, graças a sua cidade de origem.