Produção ainda é pequena, mas muito comercializada nas feiras do município

Os cultivos da Fruta do Conde ainda ocupam pequenas extensões de terra na região de Frederico Westphalen, pensando em garantir diversificação na propriedade, produtores da região começam a cultivar a cultura. Há seis anos, o produtor Albino Mariano Gaitcoski, 55 anos, planta a fruta do conde em sua chácara urbanizada no Bairro São Francisco de Paula, em Frederico Westphalen. O produtor comercializa seus diversos produtos na Feira do Produtor do município. Gaitcoski decidiu investir nas frutas exóticas após ter provado pela primeira vez e ter gostado, aí então adquiriu as primeiras sete mudas, e hoje colhe cerca de 500 kg cada uma por ano. Produção O produtor está no mercado a mais de 15 anos, onde cultivas diversos tipos de frutas, como bergamota, laranja, banana e biriba além de peixes e mel. O forte da sua propriedade de quatro hectares, é a apicultura “produção de mel”. Nos últimos anos Gaitcoski, sentiu a necessidade de diversificar ainda mais à sua produção, e inseriu diversos tipos de frutas, não conhecidas na região. Começou a cultivar além da fruta do conde, Graviola, Alexia, Framboesa entre outras. A Fruta A fruta do conde, também conhecida como pinha, é essencial para o bom desenvolvimento do organismo humano. Além de normalizar o funcionamento do intestino, combate o mal humor e atua na regeneração das células, além de ser muito saborosa. A fruta do conde é cada vez mais procurada pelo consumidor, durante as feiras, segundo Gaitcoski. Garantem boas vendas e incremento na renda, já que é uma fruta pouco cultivada na região. “Na última Feira, eu vendi mais de 40 kg, tive que voltar em casa buscar mais. Os consumidores gostam muito da fruta e sempre pedem para levar nos próximos finais de semana, é uma fruta muito saborosa, vale a pena comprar, ressaltou o produtor. O produtor já chegou a colher os frutos de 1kg e 400 gramas. Futuramente Já foram plantados alguns pés da fruta do conde, além de outros tipos de frutos que o produtor esperar diversificar ainda mais sua produção. - Quando a gente conhece uma fruta nova, a gente já começa a se pensar em cultivar aqui na propriedade. Então a gente busca conhecimento e adquirir as novas sementes, para começarmos a produzir. Isso é bom porque mais pessoas conhecendo, elas vão gostar e irão comprar ainda mais nossos produtos, que são de qualidade, ressaltou o produtor. Mercados O produtor vende todos os sábados na Feira do Produtor, além de comercializar em sua residência. Futuramente Gaitcoski pretende ampliar ainda mais a área cultiva, já que novos pés da fruta do conde já foram inseridas, além de cultivar outros tipos de frutas que ainda não são tanto cultivada na região. Os preços para venda é de R$ 5, o kg da fruta.

Renato Padilha rural@folhadonoroeste.com.br (Foto: Renato Padilha)