Apesar de não ter bola rolando nas quadras, a FIFA anunciou mudanças nas regras do futsal e as alterações podem gerar polêmicas após o retorno das competições. Afinal, muitas alterações estão diretamente ligadas a interpretação dos árbitros. O ex-árbitro FIFA, Tales Goulart, afirmou que as alterações deverão confundir a comunidade esportiva.

– Essas mudanças vão, num primeiro momento, confundir atletas, imprensa e torcedores, pois teve muitas alterações que mexeram na dinâmica do jogo. Nos primeiros jogos, teremos muitas reclamações de forma geral. Até todos se familiarizem com tudo que foi ajustado. Fazia tempo que não tínhamos alterações na regra –, explicou Goulart, durante participação no programa da Liga Gaúcha de Futsal.

Entre as principais alterações já confirmadas pela entidade máxima do futebol está, por exemplo, punição ao jogador que se negar concluir uma chance clara de gol e o árbitro não poupou críticas ao modo que foram feitas as mudanças.

– Vejo que, antes que a Fifa fizesse alterações, técnicos e árbitros que são referência no mundo deveriam ser consultados. Ajustes no texto e mudanças sem a contribuição de quem vive a modalidade diariamente, com certeza, podem prejudicar o desenvolvimento do jogo, ou teremos um retrocesso. Vários treinadores do mundo estão reclamando de muitas alterações, que são as mesmas reclamações de nós árbitros – disse Tales Goulart.

O árbitro, que também é um dos responsáveis pelo curso de arbitragem da Liga Gaúcha de Futsal, ainda acredita que os impactos serão imediatos, mas há a necessidade da busca pela informação. “Num primeiro momento, vai deixar as pessoas impactadas porque tem alterações drásticas no desenvolver do jogo, mas que com o tempo, a maioria das pessoas que estão envolvidas tanto profissionais, quanto amadores, mas é importante que todas as pessoas busquem as informações, desde arbitragem, até comissão técnica, para que, quando começar em os jogos, podermos estar cientes de todas as alterações”, afirmou. As mudanças entram em vigor já nas competições do segundo semestre deste ano e, entre as principais, estão elencadas as seguintes:

Disputas de pênalti

De três, passam a ser cinco cobranças. O time com mais jogadores poderá reduzir para ficar com a mesma quantidade que o adversário. O goleiro deve ter, pelo menos, um pé tocando a linha do gol na hora da cobrança. O jogador que obstruir o cobrador, será punido com cartão amarelo.

Bola rolando

O sinal do cronometrista é o que marcará o fim da partida. Já com a bola rolando, o tiro livre direto, após a sexta falta, será cobrado mesmo com tempo de jogo próximo do fim. No início da partida, passa a valer o gol de chute direto na saída de bola do meio da quadra. Esta medida não tem validade se constatado gol contra. Além disso, no início do jogo, os jogadores não precisam mais estar do seu lado da quadra.

Toque de mão

A falta pelo toque de mão, também passa a ser marcada como toque, quando o jogador mover a mão ou o braço propositalmente em direção à bola. Ou seja, caso não tenha tocado na bola, mas feito menção, será anotada a irregularidade.

Falta fora de quadra

A falta cometida fora da área de quadra, qualquer jogador, inclusive o goleiro, que precise de atendimento médico, precisa ser substituído. Exceto se o adversário foi punido com cartão. Além disso, poderão ser aplicados cartões vermelho e amarelo para integrantes da comissão técnica.

Bola em jogo

A regra dos quatro segundos para recolocar a bola em jogo começa a contar quando o jogador estiver pronto para retornar ou quando o árbitro determina que ele está pronto.

Se negar a fazer gol?

É cartão vermelho, para o jogador que, em qualquer lugar da quadra, propositalmente, se negar a concluir uma chance clara de gol. Quando isso acontecer em seu lado da quadra, a punição pode ser mais branda, com cartão amarelo se for comprovado que ele tentou chutar a bola.