São sete dias de atos da greve dos caminhoneiros, na região e em meio à falta de combustíveis nos postos, de determinados alimentos nos supermercados e produtos no comércio de forma geral, a população foi surpreendida na quarta-feira, 25, com o anúncio da aprovação de um pacote de benefícios aos deputados.

A partir de abril, as esposas dos parlamentares passarão a ter direito de usar a cota de passagens aéreas, entre Brasília e seu Estado de origem. Além disso, serão aumentadas as verbas para pagamento de funcionários não concursados, custeio do mandato e auxílio-moradia.

Manifestação na BR-386

O assunto foi lembrado durante manifestação ocorrida no fim da tarde desta quinta-feira, 26, na BR-386, em Frederico Westphalen. Agricultores e comerciantes se juntaram aos caminhoneiros e protestaram em favor de que o governo atenda às reivindicações. Alguns lojistas inclusive fecharam seus estabelecimentos em parte da tarde.

O prefeito de Frederico Westphalen, Roberto Felin Junior, mencionou o apoio do município ao movimento. “A partir das 16h30 de hoje, nossa cidade também parou. Só estão funcionando as atividades essenciais, porque o diesel que aumentou para vocês, também aumentou para as máquinas que tem que ir para o interior e isso aumenta o produto nos mercados, e nós não vamos repassar esse aumento somente para a população. O dinheiro dos municípios está cada vez menor, ficando concentrado no governo do Estado e no governo federal. Independentemente de partido político, terminou a palhaçada, e nós precisamos nos unir para mostrar que não vamos admitir que isso aconteça. Quem está compactuando com isso diz que o Brasil vai parar. Não é isso que queremos, queremos que o Brasil ande, mas que ande na linha, nos trilhos”, destacou Felin.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) de Frederico Westphalen, Célio de Pelegrin, adiantou que a adesão dos produtores rurais ganhará força se a situação não for resolvida até segunda-feira. “Prometemos que estaríamos aqui ainda hoje para fazer uma manifestação de apoio aos caminhoneiros, porque essa luta é conjunta, e nós aqui estamos. Eles continuarão e nós, apesar de saber que nada acontece em Brasília na sexta-feira, esperamos que hoje isso repercuta em nível nacional e que até segunda-feira, tenhamos uma resposta, se não programaremos novamente um ato de apoio da agricultura aos motoristas”, pontuou Pelegrin.

Pontos de greve

Na manhã desta quinta-feira, o Rio Grande do Sul tinha 46 pontos com protestos de caminhoneiros, 27 pontos nas rodovias federais e 19 nas estaduais.

Na região de abrangência do Folha, a reportagem tomou conhecimento da existência de sete locais de greve: na BR-386, em Frederico Westphalen; na BR-386, em Seberi; na BR-468, em Palmeira das Missões; no entroncamento das ERS 406 e 324, em Nonoai; na RST-472, em Palmitinho; na ERS-585, em Erval Seco; e na ERS-587, em Cristal do Sul. 

Produção de alimentos

Em muitos locais, agricultores tiveram de descartar o leite produzido nas propriedades. Em Pinhal, na manhã de ontem, 500 litros de leite foram doados à comunidade, durante protesto em favor do aumento do preço pago pelo produto, promovido pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR).

Os frigoríficos da JBS Foods em Frederico Westphalen e Itapiranga (SC), já anunciaram que terão de suspender parcialmente atividades, caso os bloqueios aos caminhões continuem.

Pauta de reivindicações

A mobilização é principalmente pela diminuição do preço do diesel, por melhorias nas estradas e pela criação de uma tabela com preços fixos a serem cobrados pelo frete por quilômetro rodado, e não mais por viagem.

Na profissão há 20 anos, Elton Fontana é um dos ativistas que esteve no quilômetro 50,5 da BR-386, em Seberi, no início desta semana. "A gente está conversando com os caminhoneiros para que também integrem o movimento. Não voltaremos a trabalhar até que não sejamos ouvidos", destacou Fontana.

Segurança pública

No 37º Batalhão de Polícia Militar (37º BPM), com sede em Frederico Westphalen, a corporação tem conseguido abastecer as viaturas.

Conforme o comandante, major Alexandre Pereira, caso a falta de combustível nos postos continue, os policiais serão orientados a fazerem mais pontos bases – ficarem em um só lugar, em vez de em patrulhamento nas ruas – e só se deslocarem com os veículos até locais onde exista ocorrência para atender.

Suspensão de aulas em Palmitinho

Muitos caminhões que entregariam combustíveis não puderam chegar a seus destinos por conta de bloqueios. Em Palmitinho, os veículos de transporte de estudantes estão parados devido à falta de óleo diesel, o que motivou a suspensão das aulas.

Caminhoneiro morre no interior de Seberi

O caminhoneiro palmitinhense Jair Bonafé, de 56 anos, morreu no fim da tarde de quarta-feira, 25 de fevereiro, na linha Levullis, interior de Seberi.

A Polícia Civil, que apura o caso, informou que há indícios de que ele teria desviado da greve dos caminhoneiros e acabou em uma estrada estreita.

Em determinado trecho, o veículo, placas de Taquaruçu do Sul, teria atolado e o motorista foi para baixo do caminhão para tentar resolver o problema. Outro veículo de carga, ao tentar passar ao lado, teria encostado no caminhão, o que fez com que ele se movesse e ficasse em cima da vítima.

Lideranças em Brasília

Na noite de quarta-feira, 25, no Palácio do Planalto, deputados e lideranças se reuniram com o ministro da Secretaria Geral do Governo, Miguel Rossetto, a fim de reivindicar medidas emergenciais à pauta dos caminhoneiros. Entre os participantes, estiveram o deputado federal, Luiz Antônio Covatti (PP) e o prefeito de Seberi, Renato Bonadiman, representando a Associação dos Municípios da Zona da Produção (Amzop), que está apoiando o movimento.

Na ocasião, o ministro anunciou as medidas apresentadas pelo governo à Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) e a mais oito sindicatos que estiveram em reunião no Ministério dos Transportes.

Cristiane Luza