No verão, com altas temperaturas e baixa umidade do ar, a possibilidade de incêndios em lavouras e matagais aumenta. Em Redentora, um incêndio atingiu uma lavoura de trigo e uma área de 32 hectares foi queimada na quinta-feira, 7. Cerca de 18 hectares foram destruídos e agricultores vizinhos ajudaram a conter as chamas.

Já em Seberi, por volta das 14 horas de sexta-feira, 8, um incêndio queimou parte de uma lavoura de trigo. O Corpo de Bombeiros de Frederico Westphalen foi acionado e controlou o fogo que logo se espalhou devido ao calor e vento forte. 

Funcionários de uma empresa próxima ao local também auxiliaram no controle das chamas e o proprietário da área não divulgou quantos hectares foram queimados. A fumaça do incêndio pôde ser vista do local da Exposeb 2013, no Centro.

Na segunda-feira, 11, outro incêndio nas proximidades da área consumida pelo fogo na sexta-feira, 8, foi registrado. Os bombeiros foram acionados para controlar o incêndio.

De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros de Frederico Westphalen, sargento Antônio Moreira dos Santos, para evitar o sinistro é importante que motoristas e pedestres se conscientizem ao passar por áreas próximas a lavouras. “Não se pode jogar ponta de cigarro porque isso pode iniciar um incêndio. Também é preciso evitar jogar vidros que causam o efeito lupa, que com o calor do sol servem como fonte para o fogo”, ressaltou.

O sargento alertou, ainda, que em acampamentos e áreas verdes é necessário apagar as brasas das churrasqueiras e fogueiras para que o fogo não se alastre. 

Em caso de incêndio em lavouras, até a chegada dos bombeiros, o arado pode ser utilizado para separar o local onde há fogo e evitar que as chamas se propaguem pelo restante da área.

Foto: André B. Piovesan

Natalia Nissen