A prévia do PSDB deverá ter mesmo quatro candidatos disputando a indicação para concorrer a presidente da República em 2022: o governador gaúcho Eduardo Leite; o governador de São Paulo, João Doria; o senador Tasso Jereissati, do Ceará; e o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio. Os quatro formalizaram a inscrição e agora vão participar de debates para convencer o colégio eleitoral tucano de que têm condições de se viabilizar como a terceira via entre o ex-presidente Lula e o presidente Jair Bolsonaro, que aparecem à frente em todas as pesquisas. 

Doria é considerado favorito, por ter na mão a poderosa máquina do governo de São Paulo e o apoio declarado do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, mas Leite não se intimida e busca apoio em outros Estados, apresentando-se como um conciliador. A expectativa do governador gaúcho é receber o apoio de Tasso mais à frente. 

Leite lançou a candidatura nesta terça-feira, 21, e divulgou uma carta aberta ao PSDB e ao Brasil. No documento de uma página, começa dizendo que neste ano de 2021 completa 20 anos como filiado ao partido. 

“O partido que me encantou na adolescência e que continua me levando a acreditar na política como a maior força de transformação social e democrática que uma sociedade tem para mudar e construir seu futuro. A realização dessas prévias mostra um PSDB vivo, maduro, democrático e aberto para novos caminhos”, escreveu. 

O governador gaúcho diz que “é hora de superar a política do 'uns contra os outros' e partir para o todos contra os problemas do Brasil”. 

E acrescenta: “O Brasil precisa de alternativas novas. Está na hora de olhar para o futuro com olhos de futuro. Não é sobre o país que está aí e nem sobre o país que já foi, e sim sobre o Brasil que podemos ser. Um país que os jovens se orgulhem e não queiram ir embora. E onde os mais velhos tenham confiança que irão ver o Brasil dar certo”. 

*Com informações GZH