* Por Haroldo Schneider - Presidente da Comissão Especial de Licitações do HPR, Prefeitura de Palmeira das Missões/RS

Em nosso cotidiano somos bombardeados pela mídia com os escândalos de corrupção, agentes políticos investigados ou até presos, problemas em obras públicas, e também menção a certames licitatórios sob suspeita, além desse cenário apresentado a nível nacional, no âmbito municipal os constantes questionamentos da morosidade da licitação da construção do HPR com insinuações de que são apenas promessas eleitoreiras.

Neste sentido, quando me reporto às questões que envolvem todas as fases e etapas de um certame licitatório, se faz necessário que tenhamos a mesma responsabilidade que possuímos com a nossa vida privada uma conduta ética e moral, afinal quando temos responsabilidades para com recursos públicos, que são limitadíssimos e as demandas são inúmeras precisamos sempre agir com seriedade e responsabilidade. Atualmente, lotado no Setor de Licitações e Compras da Prefeitura Municipal de Palmeira das Missões, onde nos últimos vinte e quatro meses, foi sendo confeccionado, corrigido e atualizado o edital da licitação de construção do HPR, colegas engajados neste grande projeto, inúmeras idas e vindas de documentos, viagens, reuniões, debates, trocas de informações, duvidas, constatações de outras obras, rotuladas de “elefante branco”, órgãos de controle acompanhando, sempre com o foco de que esteja tudo de acordo com o que a lei exige, que o projeto seja acreditado e principalmente que saia do papel e se torne efetivo de verdade, ou seja funcionando e atendendo ao seu objetivo, a saúde.

Outrossim, sempre o que se buscou ao longo destes vinte e quatro meses, não foi apenas o mero lançamento do edital de licitação. O que sempre esteve em mente por todos os comprometidos, que o projeto fosse acreditado e respaldado, seja pelas inúmeras entidades, associações e comunidade tanto local como regional, também a busca da substituição do pessimismo pelo otimismo da viabilidade deste projeto. Entre a publicação do edital de licitação e a abertura oficial do certame, ocorrido no dia 21/01/2019, transcorreram cinquenta dias, durante este período, novamente foram realizadas várias reuniões objetivando responder pedidos de esclarecimentos dos licitantes. Assim no dia agendado para abertura do maior processo licitatório da história de Palmeira das Missões, não somente em relação à questão financeira, mas especificamente o que está construção representará para o futuro do município e região.

Logo, onde o cotidiano é licitações, a experiência de fazer parte desta licitação, que objetiva a construção do HPR é singular, também fazer parte de uma sensacional equipe de colegas é impar, pois sem ela não somos nada, assim, posso afirmar que está sendo uma grande licitação, respaldada com a entrega de 10 (dez) envelopes de habilitação e proposta, sendo dividido em sete empresas individuais, e três consórcios, o que representou a participação efetiva de quatorze empresas. Por fim, além de procurar incansavelmente atender aos preceitos legais, juntamente com todos os engajados nesta licitação, se faz necessário evidenciar que a nossa vida, além do labor diário segue a sua rotina, e que possamos ser apontados na rua que atuamos com seriedade e responsabilidade para com o histórico certame licitatório que mudou a história de Palmeira das Missões.