A Polícia Civil irá ouvir novamente a mãe de Rafael Winques, Alexandra Dougokenski, como continuidade do inquérito que investiga a morte da criança de 11 anos em Planalto.

Ela deve ser ouvida na tarde deste sábado, 27, em Porto Alegre, já que está detida na Penitenciária Estadual Feminina de Guaíba.

Nesta semana, o delegado responsável pelo inquérito, Ercílio Carletti, confirmou que a morte de Rafael Winques foi por asfixia mecânica. A afirmação foi feita baseada no resultado do laudo entregue pelo Instituto Geral de Perícia do Rio Grande do Sul (IGP-RS).

Neste depoimento, os policiais deverão confrontar a versão apresentada por Alexandra, com os laudos entregues pelo IGP-RS.