Novembro é o mês mundial de combate ao câncer de próstata, que representa o tumor maligno mais frequente nos homens brasileiros. A iniciativa conhecida como “Movimento Novembro Azul” busca quebrar os paradigmas da doença no Brasil por meio da conscientização sobre a importância da prevenção e dos exames periódicos na população masculina.

Uma pesquisa com cinco mil homens, realizada no mês de maio de 2013 pela Sociedade Brasileira de Urologia, revelou que 47% deles nunca fizeram o exame de toque retal, que é fundamental para detectar o câncer de próstata. Ao tomarem essa atitude, os homens aumentam a possibilidade de diagnóstico tardio da doença, que atinge cerca de 60 mil homens todos os anos no Brasil, levando a óbito mais de 10 mil.

O que é a próstata?

Conforme o urologista e coordenador do Departamento de Uroneurologia da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), Márcio Averbeck, a próstata é um órgão muito pequeno, com cerca de 25 a 30 gramas, e que se parece com uma castanha, situada logo abaixo da bexiga. Produz cerca de 70% do sêmen, líquido espesso que contém os espermatozoides e é liberado durante o ato sexual. “É uma substância fundamental para a vitalidade e o transporte dos espermatozoides, portanto, representa um papel fundamental na fertilidade masculina. Apresenta consistência firme e homogênea ao toque. Quando há a presença de câncer, sua consistência torna-se endurecida”, explicou.

Fatores de risco

Entre os fatores de risco para a ocorrência do câncer de próstata está o envelhecimento, o histórico familiar de câncer de próstata na família (pais, irmãos e tios acometidos pela doença), a obesidade, e a ingestão acentuada de gordura animal e carnes vermelhas (neste último caso, as evidências ainda são inconclusivas).

Prevenção

A Sociedade Brasileira de Urologia recomenda que todos os homens com 45 anos de idade ou mais façam o exame de próstata anualmente, o que compreende o toque retal feito por um urologista e o exame de sangue para a dosagem do PSA.

Quando o PSA estiver elevado ou o toque prostático demonstrar endurecimentos, pode ser indicada uma “biópsia prostática”, que é um exame minimamente invasivo e guiado por ecografia, com o objetivo de retirar pequenos fragmentos da próstata para exame anatomopatológico. Este exame fica pronto após cerca de uma a duas semanas e demonstrará a presença (ou não) de tumor.

O câncer de próstata não costuma causar sintomas em fases iniciais. Assim, o exame preventivo é a única forma de diagnosticar precocemente a doença e aumentar as chances de cura.

Tratamento

Segundo Averbeck, os tratamentos devem ser individualizados de acordo com cada paciente, levando em conta a idade, o estadiamento do tumor, o grau histológico, o tamanho da próstata, as comorbidades e a expectativa de vida do paciente.

O câncer de próstata pode ser localizado (só afetando a próstata), localmente avançado ou avançado (o câncer já se moveu para além dos limites da próstata).

Para tumores em estágios iniciais (contidos dentro da próstata), existem diversas modalidades terapêuticas com intenção curativa:

Vigilância ativa – caso em que o estágio do câncer é observado de perto e o tratamento é iniciado somente quando necessário. Tem por objetivo evitar o tratamento desnecessário em homens com baixo risco de câncer. O método também detecta cânceres que começam a se tornar mais agressivos e que, portanto, necessitam de tratamento.

Cirurgia – é a remoção total da próstata por intervenção cirúrgica (prostatectomia radical). A cirurgia dura em torno de duas horas, o período de internação é de três a cinco dias. Uma sonda uretral deve permanecer de dez a catorze dias.

Radioterapia – utiliza alta energia (raios-X) irradiada a partir de uma máquina (radioterapia externa) ou liberada por sementes radioativas implantadas na próstata (braquiterapia) para matar as células cancerosas.

Para os tumores avançados (aqueles que "saíram" da próstata, causando metástases) também existem tratamentos:

Bloqueio hormonal (androgênico) – são medicamentos administrados por via oral ou através de injeções subcutâneas, que reduzem o nível de testosterona no sangue e evitam a progressão do tumor.

Quimioterapia – Indicada para os pacientes portadores de tumores resistentes ao bloqueio hormonal.

Sempre que o câncer de próstata é diagnosticado em um momento precoce, aumentam as chances de cura da doença.

A participação da companheira é fundamental para encorajar o homem a fazer os exames necessários. Quando ela está envolvida, os homens tendem a procurar mais o médico e a fazer os exames necessários.

Prevenção é o melhor tratamento. Procure seu urologista!

 

Estatísticas do câncer de próstata

Um a cada seis homens terá câncer de próstata durante sua vida

Um a cada 36 homens morrerá da doença