O Ministério Público de Palmeira das Missões ofereceu nessa segunda-feira, 2 de abril, denúncia ao Judiciário contra os dois presos pelo desaparecimento da contadora Sandra Mara Lovis Trentin, 48 anos, o marido Paulo Ivan Landfeldt, 47, apontado como mandante da morte da mulher, e o homem que inicialmente confessou tê-la assassinado com dois tiros em troca de pagamento, Ismael Bonetto, 22.

Em entrevista exclusiva ao Folha do Noroeste, o promotor de Justiça Marcos Eduardo Rauber expôs que os dois são acusados de homicídio qualificado - mediante paga, motivo torpe, recurso que dificultou ou tornou impossível a defesa da vítima e feminicídio -, e ocultação de  cadáver. No caso de Landfeldt, o MP considera como agravante os indícios de ter organizado o crime contra  cônjuge. Ao de Bonetto foi adicionado o crime de extorsão, por ter tentado ganhar mais dinheiro do marido depois da morte.

A partir de agora, o Judiciário analisa o acolhimento da denúncia para dar início ao processo criminal, no qual os dois podem ou não virar réus. A Polícia Civil segue investigando o envolvimento de mais pessoas e a localização do corpo.

Os dois presos negam o delito. Em nova versão, o rapaz inocentou o marido e afirmou que ouviu falar sobre o caso e procurou o vereador a fim de extorqui-lo.

Leia também: Polícia fez buscas por corpo de contadora em Boa Vista das Missões

MP analisa se irá oferecer denúncia contra marido e jovem presos por desaparecimento de contadora