Jogar bola ou brincar fora de casa é motivo de alegria para João*, de 8 anos. Com o sonho de quando crescer se tornar jogador de futebol profissional, o menino tem o campo de areia da Vila Pedreira, onde mora, como local para treinar e se divertir junto às demais crianças da vizinhança.

Até aí, tudo bem. O problema é quando chove e a água fica empoçada no espaço. "Jogamos no meio da água igual. Às vezes a gente cai e se molha tudo", lamentou. Para não perder a chance de aproveitar durante o dia uma das poucas opções de lazer na comunidade, João e os amigos Rafael, de 9 anos, e Pedro, de 10, fizeram, com o auxílio de uma enxada, uma valeta para onde empurram a água da chuva para fora do campo, em direção a uma área tomada por mato e lixo. 

Transforme a Pedreira

A solução improvisada dos garotos em breve deve ser deixada de lado. Na segunda-feira, 17 de agosto, a Central Única das Favelas (Cufa) lançou a campanha "Transforme a Pedreira", com o objetivo de arrecadar materiais para construir uma quadra na vila, que faz parte do bairro Jardim Primavera. Até a tarde de ontem, 20, a organização não-governamental (ONG) havia conseguido mais de R$ 8 mil em doações, vindas inclusive de São Paulo, disse o coordenador da entidade, Roberto Torres Junior. 

A transformação da areia, do cimento e do ferro em quadra de esportes será feita pelos próprios moradores, coordenados pelo pedreiro Valdair Nunes, 59 anos, que reside na vila há 40 anos. "Quando essa quadra estiver pronta, com certeza não veremos mais as crianças tendo que ir brincar ou andar de bicicleta pelas ruas de outros bairros. Até os adultos terão um lugar para se entreter", destacou Nunes.

O esporte e a inclusão social

Com cinco anos em Frederico Westphalen, a Cufa utiliza o esporte como ferramenta para promover a inclusão social, unir pessoas e atrair jovens. Exemplo disso é a realização de torneios entre bairros e de oficinas de taekwondo e capoeira, atividades nas quais a Pedreira também está inserida. É por meio de ações simples como essas que a juventude fica fora do mundo das drogas e do crime, fatores que fizeram com que a vila virasse alvo de preconceito no município. Foi em meio ao local detonado para retirar as pedras para construir a BR-386 que as casas foram sendo levantadas irregularmente, por gente que não tinha grandes recursos financeiros para sobreviver. "Isso começou a mudar de uns oito anos para cá. Mas antigamente até para dar emprego era difícil quando se dizia onde morava. Muitas vezes não me deram obras para trabalhar, mas sou orgulhoso em falar que moro aqui, e nunca fiquei sem serviço. Aqui hoje todo mundo trabalha", relatou o construtor.

Mutirão para reformar casas

Depois que a quadra ser construída, a ideia da Cufa é organizar um mutirão para reformar residências da comunidade, a exemplo do que ocorreu em 2010, quando voluntários se uniram para melhorar as condições de moradia de um homem que tinha câncer. "A ideia dessa campanha, de transformar a Pedreira, é mostrar que ela está dentro do bairro Primavera, de Frederico Westphalen e que faz parte da sociedade. É muito fácil não dar bola, achar que só tem marginal. Mas não, são 40 ou 50 famílias de bem. Entre as nossas atividades, principalmente pelo incentivo ao esporte, é a comunidade em que mais vimos evolução. É a oportunidade de todos contribuírem para haver melhora e o primeiro passo é a construção dessa quadra", explicou Junior.

Neste sábado, 22, os moradores devem se reunir para decidir quando as obras serão iniciadas.

 

*Nomes das crianças foram trocados a fim de preservar suas identidades.

Cristiane Luza