A HPB é uma das doenças com maior prevalência na população mundial, com estimativa de que seja a segunda doença mais comum nos homens acima de 60 anos de idade. Consiste no aumento benigno da próstata, estimulado, principalmente, pela testosterona, causando um fechamento obstrutivo progressivo da uretra (canal da urina).

Dentre os principais sintomas estão dificuldade para urinar com jato fraco, gotejamento no final da micção, sensação de bexiga cheia após urinar e aumento das vezes que urina durante a noite (nictúria). Pode ocorrer também sangramento na urina e, em casos mais severos, até a obstrução completa do jato urinário, sendo necessário atendimento de emergência para passagem de sonda vesical.

Dentre os diversos exames diagnósticos temos o ultrassom prostático, o exame de toque retal e os exames de urofluxo/urodinâmica, que demonstram em gráficos as características do jato urinário e funcionamento da bexiga.

O tratamento para HPB se apresenta de duas formas básicas, tratamento medicamentoso ou cirúrgico. O tratamento medicamentoso consiste no uso contínuo de diversas classes de medicamentos, com o objetivo de melhorar o fluxo urinário e o desconforto do paciente ao urinar. Apresenta resultado rápido e eficiente na maioria dos casos, porém, depende de uso por longo prazo.

Muitas vezes, o tratamento deve ser combinado, sendo necessário utilizar mais de uma classe de medicamentos para o efeito adequado. Já entre os tratamentos cirúrgicos existem diversas técnicas que se dividem, basicamente, em tratamentos para próstatas pouco aumentadas e muito aumentadas. O tratamento para próstatas menores, geralmente, pode ser realizado por via endoscópica (pelo canal da urina) com resultados muito bons e recuperação excelente, fazendo com que o paciente retorne as suas atividades normais após 48 horas da cirurgia. Para o tratamento de próstatas maiores, demandamos cirurgias mais extensas e recuperações um pouco mais longas, porém, apresentando resultados excelentes na melhora dos sintomas urinários obstrutivos.

Sendo assim, sempre que houver qualquer sintoma urinário como perda urinária, jato fraco, sensação de esvaziamento incompleto, vontade constante de urinar ou sangramento na urina devemos procurar imediatamente um urologista para que este faça a melhor avaliação do caso e defina a melhor opção de tratamento.

Sobre o profissional

Dr. Arthur Castelo Branco é formado pela Faculdade Souza Marques; fez urologia no Hospital Central da Polícia Militar, no Rio de Janeiro. Fez diversos cursos nas áreas de ultrassonografia, cirurgia videolaparoscópica, cirurgia endoscópica, biópsias urológicas e urodinâmica. Atende no Hospital Santo Antônio, de Tenente Portela e em seu consultório no município. Atende todas as áreas da urologia, especialmente, cálculos renais e saúde do homem