Segundo entre quatro filhos, Márcio Juvelino Mendonça teve uma infância daquelas à moda antiga, que muitas famílias sentem saudade. Brincava na rua com os primos sem preocupações. Com a imaginação solta, um toquinho de maneira sobrada das carrocerias construídas pela família virava qualquer coisa nas mãos da criança. Se esse objeto não fosse a opção, a bola era escolha certeira.

 Entre as memórias afetivas mais marcantes da infância, está a figura do pai (em memória) Petri Mendonça, como grande incentivador dos jogos de futebol. A brincadeira participou de um grande pedaço da história de Márcio, que por muitos anos jogou junto de diversos clubes locais. “Joguei desde as categorias de base, mas o auge foi em 2000, quando ganhamos o Campeonato Estadual Série Prata com o Ipiranga”, compartilha. A mãe, Nilza Mendonça, outra grande referência, como o primeiro contato de Márcio. Ela era técnica de áudio na Rádio Luz e Alegria. “ A comunicação já estava ali antes mesmo de eu nascer”, brinca.

Hoje com 44 anos, o relações públicas e proprietário da Agência Darup de Frederico Westphalen constrói sua história junto do filho Max Pietro, de 2 anos, da esposa Marieli Mulinari, 36, e logo mais de um novo ou nova integrante da família. Isso porque Marieli está esperando um novo bebê, com chegada prevista para janeiro de 2020.

Aumentando a família

Antes de Max, Márcio confessa que nunca tinha pensado em ser pai. “Brincava com a Marieli que gostava de crianças, mas no colo dos outros”, conta. Isso até o casal decidir que seria hora de aumentar a família. 

Juntos há 12 anos na época, os dois decidiram que aquele era o momento de ter um filho. Após algum tempo tentando, a notícia veio de maneira significativa. A esposa preparou uma surpresa justamente no Dia dos Pais. “Foi uma surpresa indescritível, sempre digo que sou muito abençoado. A Marieli teve uma gravidez muito tranquila e o Max sempre foi muito tranquilo e ele nos surpreende a cada dia”, observa. 

No fim do último ano, a família passou por um susto, após o pequeno ter uma convulsão. Após todos os exames, foi descoberto que o episódio foi apenas um caso isolado, mas mudou o contexto familiar. Os dois, que já planejavam ter mais filhos, decidiram dar um irmão ao Max. Marieli está com 16 semanas de gestação. 

Mais maduro, o casal aproveitou a vida por um bom tempo e agora, com maior bagagem e experiência, cuida dos filhos. A decisão é vista como um ponto positivo, já que tudo flui com naturalidade e mais segurança. “Acho que tudo aconteceu no seu tempo. Tendo o Max agora, temos mais entendimento de como vai ser, como lidar”, complementa Márcio. 

A tecnologia como aliada na criação dos filhos 

Com uma rotina agitada e um contexto de constantes atualizações, o casal, como qualquer outro, precisou ajustar a rotina com a chegada do Max e se prepara mais uma vez para esse processo, com a vinda do novo bebê.

Desde os 6 meses de idade, o Max frequenta uma creche na cidade, com professores e profissionais atentos não só aos cuidados básicos para com o pequeno, mas também com um auxílio didádico, já que mesmo com essa idade, ele tem uma rotina estável, com diferentes atividades que estimulam sua educação e seus instintos. 
— A gente confia muito nas professoras da creche. A gente chegou lá e entregou o Max para elas com 6 meses de idade e elas nos deram todo o suporte necessário, com muito carinho. O quão é importante a creche, ele interage com as crianças da mesma idade e assim consegue também entrar em uma rotina. Ele já vai crescer sabendo que tem que cumprir também com as obrigações dele—, comenta Márcio.

À tardinha, a família se reúne e aproveita o tempo junto com qualidade. “Chego às 18h e pouquinho e aí fico agarrado nele”. O casal revê as atividades e juntos os dois participam dos momentos do dia a dia com o pequeno, desde e a hora do banho até preparar a mamadeira, situações que reforçam a relação entre mães, pais e filhos.
A tecnologia também ajuda no processo. Márcio conta que como muitos amigos estão na mesma fase e se tornaram pais recentemente, a troca de informações é constante.

— Tenho muitos amigos que têm filhos dessa idade, tivemos filhos juntos, então nós trocamos muitas informações. Esses dias um amigo indicou um aplicativo, o Baby Center. Ele fornece informações toda semana sobre a saúde de seu bebê, o tamanho que ele está e como a mãe vai se sentir durante a gravidez. O aplicativo foi nossa vovó, dando dicas e auxiliando nesse processo—, diz Márcio.

Ainda assim, o casal não abre mão de proporcionar momentos de lazer no interior com o filho. Max já se aventurou até no banho de lama. “A gente quer que ele esteja sempre entrosado. São coisas que eu fazia e agora ele também tem a oportunidade de fazer”, fala Marieli. 

Sem manual de instruções, Márcio e Marieli descobrem diariamente os desafios e a felicidade da criação de filhos. “Quando nasce o filho, nasce um pai e uma mãe. Você pode até se preparar, pesquisar, mas tem coisas que é só na hora para saber. A gente aprende com eles. Eles nos ensinam”, afirma Marieli. Com a chegada do filho, o casal conta que um dos maiores aprendizados é a tolerância e a paciência com o outro, que é exercitada diariamente e mudou a vida do casal. “Eu me enxergo muito no Max, como se estivesse me olhando no espelho quando criança”, diz Márcio. 

— A idade nos proporciona uma tranquilidade também. Nós já tínhamos anos juntos, já possuímos uma estabilidade emocional e uma relação de cumplicidade. Assim, quando veio mais um ser se unir a nós, foi muito tranquilo—, enfatiza Márcio. 

Para você, o belo está em?

Para mim, é desejar o bem. Quando queremos o bem do outro e ponto. No momento que você deseja isso para outra pessoa, fica tão leve para ti. O que deixa uma pessoa ser do bem é desejar o bem para as outras.