A Tchêturbo é uma empresa que carrega como sobrenome: Tecnologia. Aliado a isso, a empresa cresceu e ampliou os seus horizontes, sempre respeitando o foco principal, melhorar e manter os seus clientes, ainda mais conectados. Assim surge a sede da Tchêturbo, um espaço cheio de tecnologia, inovação e com sustentabilidade, inaugurada no dia 30 de setembro.

A sede da empresa é uma referência tecnológica e além do projeto arquitetônico, contou com um projeto específico de alguns ambientes como a Sala Junior, Sala de Reuniões, Staybox e Lounge. Todos esses projetos, incluindo o desenho de móveis e as salas como um todo, foram elaborados pela arquiteta e urbanista Eduarda Dalmolin. Confira como ficaram estes espaços, uma união de beleza, leveza, aconchego e muita tecnologia.

Sala Júnior

Seguindo o estilo industrial proposto em todo o contexto da empresa, a Sala Júnior foi montada com uma composição com estruturas metálicas, concreto aparente e um toque amadeirado. O espaço foi pensado justamente em unir conforto e profissionalismo, com uma sala de estar e a mesa de trabalho em formato L, que serve como uma divisória do espaço. Neste ambiente, um dos pontos mais importantes é o contorno todo em vidro, que proporciona uma visão mais ampla da empresa.

Sala de Reuniões

O foco principal na Sala de Reuniões é a mesa, principalmente, por se tratar de um ambiente onde as decisões da empresa são tomadas. A mesa é composta com pés de aço e duas chapas de madeira maciça, e centralizada para o painel da televisão. Neste espaço também foi proposto um aparador e duas tiras em 3D de gesso para complementar e proporcionar um ambiente moderno e tecnológico.

Staybox

Neste ambiente, os móveis foram reaproveitados e para montar o espaço com paredes em vidros, a arquiteta Eduarda projetou uma “caixa de vidro” usando tons em laranja e preto, que representam a logo. O ambiente também foi projetado a fim de seguir a ideia principal da empresa: Tecnologia, com uma frase que convida e já diz tudo sobre o que é realizado naquele espaço: “Serviços inteligentes em nuvem”.

Lounge

A empresa tinha como ideia principal para este espaço, promover um ambiente descontraído e que colorisse o lugar. Utilizando a referência do carpete verde, a fim de remeter a um gramado, na composição, duas poltronas nas cores amarelo e verde e dois balanços suspensos.

“O objetivo sempre foi manter o estilo industrial, algo menos poluído, mais liso, com o uso do amadeirado, estrutura metálica preta, concreto aparente, e cores nos detalhes, plantas e objetos. Manter o conceito de transparência e de que os funcionários se sintam bem por estar ali, ou seja, tirar a ideia de escritório e trabalho e propor algo mais descontraído”, afirmou a arquiteta, Eduarda Dalmolin.

Arquiteta e urbanista responsável pelo projeto: Eduarda Dalmolin