O Produto Interno Bruto (PIB) do Rio Grande do Sul registrou alta de 4% no primeiro trimestre deste ano, na comparação com os últimos três meses de 2020. Entre os três setores que compõem a economia, a agropecuária foi a que mais registrou elevação no começo de 2021, atingindo percentual de 35,7% de alta. Na sequência aparece a indústria, com elevação de 3,8%, e o setor de serviços, com variação quase estável, mas conseguindo aumento de 0,4%. 

A elevação do PIB gaúcho é quase quatro vezes superior à do Brasil, que no mesmo período registrou alta de 1,2%. Para Eduardo Leite, os números mostram perspectivas positivas, mas apresenta um cenário ainda a ser superado. 

– Os indicadores do PIB, somados às ações que estamos promovendo desde o início da nossa gestão, como a Reforma Administrativa, a Tributária, as privatizações e as concessões, entre outras tantas, demonstram que fizemos as escolhas certas. Estamos no caminho para a retomada do desenvolvimento que o Estado e a população tanto esperam de nós. A confiança também tem enorme relevância para a superação das perdas econômicas provocadas pela pandemia – completou o governador. 

Ainda conforme o governo gaúcho, dentro do segmento industrial, a maior taxa de crescimento foi o de Eletricidade e Gás, Água e Limpeza Urbana (11,1%), seguido da Indústria de Transformação (+4,7%) – a mais representativa do Rio Grande do Sul – e da Indústria Extrativa Mineral (+1,4%). Nos Serviços, cinco das sete atividades registraram alta, com destaque para o segmento de Intermediação Financeira e Seguros (+3%), Serviços de Informação (+1,7%) e Outros Serviços (+0,6%).

Quando a base de comparação é o mesmo período de 2020, a alta na economia do Estado no primeiro trimestre é ainda maior, chegando a 5,5%, desempenho superior ao registrado no país (+1%).