Palmeira das Missões tem enfrentando nas últimas semanas, um crescimento no número de casos confirmados de coronavírus. Conforme o último boletim epidemiológico, divulgado pela prefeitura nesta segunda, 31 de maio, o município tem 3.635 casos positivos, com 426 pessoas em isolamento.  Até esta terça, 1º, 67 pessoas já morreram.

Somado a isso, a região de Palmeira das Missões, que abrange 55 municípios, segundo o Mapa de Leitos do Governo do Estado, tinha, também na segunda, 31 de maio, uma taxa de ocupação dos leitos de UTI em 119,6%. Das 46 unidades de UTI que constam no sistema de regulação estadual de leitos, 55 estavam ocupados. 90% dos respirados disponíveis estava em uso.

De acordo com o secretário municipal de Saúde de Palmeira das Missões, Izaias Malheiros, para tentar conter o avanço da pandemia, que tem demonstrado altos índices de contaminação no município, a prefeitura está desenvolvendo estratégias. Uma delas é a força-tarefa que envolve a Brigada Militar, Polícia Civil, Conselho Tutelar, fiscalização e o Cras. “São várias entidades que estão trabalhando conosco no enfrentamento, fiscalização de festas clandestinas, protocolos e descumprimento de isolamento”, explica.

A prefeitura também ampliou o horário de funcionamento do centro de triagem Covid, unidade de saúde que concentra o atendimento para pessoas com síndromes gripais leves. OL local funciona 12h por dia, inclusive, no fim de semana. Também  foram criadas mais equipes do Patrulha Covid, passando de um grupo para três, responsáveis pelo monitoramento a domicílio e fiscalização de descumprimento do isolamento domiciliar.

– Também continuamos com a vacinação em ritmo acelerado. Estamos vacinando os professores e continuamos com a vacinação das comorbidades –, detalha. O Executivo também acrescentou restrição de horário no decreto municipal, para tentar diminuir a circulação de pessoas das 20h às 5h. Ainda nesta semana deverá emitir novo decreto que vai proibir o funcionamento do comércio nos próximos dias, com antecipação de alguns feriados. Segundo Malheiros, provavelmente, por um período mínimo de uma semana.