Pessoas vindas de muitas comunidades se reuniram na manhã deste domingo, 10, para celebrar com Maria a 46ª Romaria em honra à Nossa Senhora de Lurdes e 21ª Romaria Diocesana do Enfermo na reitoria de Osvaldo Cruz em Frederico Westphalen.

A primeira missa do dia foi celebrada as 6 horas com a participação de dezenas de pessoas. Mas, foi mesmo a missa solene, das 10 horas, a que mais reuniu público, eram centenas de fiéis acomodados em frente ao santuário para pedir e agradecer as bençãos da Mãe de Lourdes sobre o tema central da romaria de 2019 “Nossa Senhora de Lurdes intercessora junto do Pai por nossa cura das enfermidades”.

A missa foi celebrada pelo monsenhor Leonir Fainello que aproveitou a homília para lembrar que a primeira aparição de Nossa Senhora de Lurdes foi a Bernardete em 11 de fevereiro e desde então ela sempre confia ao povo o grande mistério de amor e a entrega de Jesus Cristo reforçando de que precisamos nos voltar a ele sempre. “No mundo há um amor mais forte que a morte, que as nossas fraquezas e que os nossos pecados, a força do amor é maior que a força que nos ameaça e nos atinge muitas vezes. E é esse mistério de amor de Deus pelos homens que Maria veio revelar e convidar todos os aqueles de boa vontade e os que sofrem para levantar os olhos a cristo e buscar a salvação”, disse.

No dia 11, dia de Nossa Senhora de Lourdes a Igreja do mundo inteiro vai celebrar o dia do enfermo sobre o tema “Recebeste de graça, dai de graça”. “O papa pede para lembrarmos a igreja mãe de todos os seus filhos, mas, sobretudo, mãe dos doentes e enfermos. O cuidado com os doentes precisa de profissionalismo, ternura e gestos simples. A vida é um dom de Deus, conta a cultura do descarte e indiferença o papa convida ainda todos a ser humilde e praticar a solidariedade como virtude de nossa existência”, lembrou o monsenhor.

Ao meio-dia foi servido o tradicional almoço, seguido de festejos populares.