O Rio Grande do Sul, seguindo nota técnica do Ministério da Saúde, emitido no sábado, 24, confirmou que irá vacinar as 6.441 grávidas que haviam recebido a primeira dose da vacina Oxford/Astrazeneca/Fiocruz com uma segunda dose de Pfizer ou Coronavac, com preferência para a primeira se houver estoque. Os detalhes da aplicação das doses ainda serão divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde gaúcha (SES-RS). 

A aplicação da vacina da AstraZeneca para grávidas e puérperas (até 45 dias após o parto) foi suspensa pelo Ministério da Saúde em 11 de maio após a morte de uma grávida de 35 anos do Rio de Janeiro que havia recebido o imunizante. Não existe ainda comprovação de que a vacinação e o óbito tenham relação, mas a restrição foi adotada preventivamente.

Desde então, as vacinas que contém vetor viral – a AstraZeneca e a Janssen, que ainda não havia chegado ao Brasil à época – deixaram de ser utilizadas em gestantes. O grupo vem recebendo Pfizer ou Coronavac.

A secretária aponta ainda que países como Alemanha, França, Suécia, Finlândia, Dinamarca e Noruega "adotaram a possibilidade de esquemas de intercambialidade de vacinas para situações específicas".

*Com informações de GZH