O tradicionalismo é um estado de consciência que está intrínseco na sociedade, por meio da cultura, vivência ou preservação de um patrimônio histórico. A força da tradição gaúcha, há décadas, criou uma cultura própria, com a fala, vestimentas, culinária local, bebidas, o fogo campeiro e os eventos típicos da região sulista do Brasil. 

Semana farroupilha

A tão conhecida Semana Farroupilha é um evento festivo da cultura gaúcha que, desde 1947, passou a ser comemorada de 13 a 20 de setembro, com desfiles em homenagem à tradição gaúcha e também relembrando os líderes da Revolução Farroupilha, que ocorreu entre 1835 e 1845. É uma semana dedicada ao culto às tradições gaúchas, regulada por uma lei estadual. E, em 1995, foi definida pela Constituição Estadual, como a data magna do Estado, que o dia 20 de setembro passava a ser feriado. 

São infinitos os motivos para se encantar com as manifestações culturais do Rio Grande do Sul, no entanto, é um sentimento único de quem nasceu ou cresceu em meio ao tradicionalismo gaúcho. 

CTG-FW

O CTG Rodeio da Querência de Frederico Westphalen, fundado em 19 de junho de 1973, carrega como tema “Lembrando o passado para exemplo do futuro” e assim, quem o representa, assume o legado de manter acesa e viva a história vivida e construída pelos antepassados, mantendo os fundamentos para construir o hoje e o futuro do tradicionalismo gaúcho. 

- Em tempos de pandemia é muito difícil para nós tradicionalistas e para o povo gaúcho em geral comemorar esta semana, pois trazemos também o legado de grandes festas, bailes e reuniões. Somos um povo caloroso que gosta de celebrar em conjunto e neste ano, tudo está sendo diferente e limitado, mas não de menor importância, pois iremos comemorar em nossas casas, com aqueles que são nosso suporte e nossa base, que é a nossa família. Então, a nossa sugestão é que as famílias celebrem com um bom mate, um churrasco, contar histórias ou assistir filmes históricos com as crianças, além é claro, das muitas atividades que estão sendo desenvolvidas via internet pelo MTG e entidades tradicionalistas -, contou o patrão da entidade, Pedro Luiz Gutkoski.

A celebração da Semana Farroupilha este ano não será da maneira tradicional e calorosa como sempre vivenciamos em virtude da pandemia, no entanto, a cultura permanece viva nos corações de quem tanto a cultua.

Chama Crioula

A Chama Crioula é o marco Inicial do movimento tradicionalista organizado. É um resgate dos valores antigos em termos de música, dança e indumentária. O ato da Chama Crioula, caracterizado na história, teve origem no dia 7 de setembro de 1947, por um grupo de estudantes, liderados por Paixão Côrtes, que carregaram um cabo de vassoura com a chama da Pira da Pátria, pelas ruas de Porto Alegre até chegar ao colégio Júlio de Castilhos, onde foi fundado um departamento de tradições gaúchas. Eles realizaram a primeira “Ronda Crioula”. 

- Este ano, acendemos um fogo de chão no “Galpão da Chama” em nossa sede campeira, que poderá ser visitado durante esta semana, é claro respeitando as normas de distanciamento social. Este fogo foi aceso com uma centelha da Chama Crioula -, compartilhou o capataz e patrão campeiro do CTG, Rafael da Rosa Vasconcelos. 

A tradição gaúcha é o espelho de muita história e muita luta. Além das músicas que contam, em diversos trechos, estes 73 anos de tradicionalismo organizado, ganham forma com os grupos de dança e suas indumentárias que encantam os fandangos do Rio Grande do Sul. O churrasco aos domingos, a poesia ao redor do fogão campeiro e, é claro, o chimarrão cevado para as rodas de conversa. 

- Ser gaúcho é ter orgulho de ter nascido no Rio Grande do Sul, é valorizar a coragem que nossos ancestrais tiveram em defender nossa terra e nossos ideais, mas acima de tudo, não deixar esmorecer esse sentimento nas gerações que virão –, finalizou o patrão.