A Polícia Civil de Frederico Westphalen concluiu investigação e desarticulou grupo criminoso que atuava no Bairro Santo Inácio, explorando a venda de drogas ilícitas.

As investigações iniciaram no dia 19 de março,  após ação da Brigada Militar, com a prisão em flagrante de um traficante de drogas, um homem de 29 anos, que atuava no bairro.

O traficante foi conduzido até a Delegacia de Polícia, onde foi decretada sua prisão em flagrante.

Segundo o delegado de Polícia Civil, Jacson Oiliam Boni, foi representado pela decretação da prisão preventiva, pedido atendido pelo Poder Judiciário.

Em nova ação realizada o último dia 13, outras duas pessoas foram presas preventivamente por envolvimento no caso, um homem de 25 anos  e uma mulher de 26 anos, a qual já era conhecida no meio criminoso por envolvimento com a venda de drogas.

Na ocasião, foram cumpridos três mandados de busca e apreensão em residências ligadas ao grupo. Foram apreendidos dois veículos adquiridos com o lucro obtido com o tráfico de drogas, um revólver calibre 38, documentos e objetos de valor probatório, bem como foram bloqueadas contas bancárias.

As investigações prosseguiram e foi descoberto o envolvimento de outras cinco pessoas, quatro adultos, sendo duas mulheres e dois homens, e uma adolescente.

O grupo era vinculado à uma facção criminosa com atuação na região e em todo o Estado do Rio Grande do Sul.

Ao total, sete pessoas foram indiciadas por crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico, posse ilegal de arma de fogo e corrupção de menores, sendo que três dos envolvidos encontram-se presos preventivamente em decorrência da investigação.

Em relação à adolescente, foi instaurado procedimento policial próprio para sua responsabilização.

– Ressalto que o combate ao tráfico de drogas ilícitas e aos crimes correlatos são prioridades da Polícia Civil nesta cidade, sendo que o trabalho qualificado dos policiais civis que atuam nesta Delegacia de Polícia e a integração com os demais órgãos de segurança pública têm gerado resultados expressivos, como o que ora estamos divulgando –, destacou o delegado.


*Com informações da Polícia Civil