Os transtornos do neurodesenvolvimento são resultados das alterações dos processos normais do desenvolvimento cerebral que iniciam logo nos primeiros momentos do desenvolvimento do cérebro no período gestacional e persistem ao longo do tempo. E têm como fatores genéticos e ambientais (durante a gestação) através de exposição a momentos estressantes, a toxinas, determinados medicamentos, nascimento com baixo peso e prematuridade.

– Saliento que os principais transtornos do neurodesenvolvimento são Deficiência Intelectual; Transtorno do Espectro Autista; Transtorno de Comunicação; Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade; Transtorno Específico de Aprendizagem e os Transtornos Motores –, explica a psicopedagoga Emanuele Barreta.

ARTE - Folha do Noroeste

 

Sintomas

Todos os transtornos mencionados requerem atenção e estimulação continua, pois envolvem déficits que impactam no funcionamento pessoal, social, acadêmico e profissional. “Os sinais surgem nos primeiros anos de vida como o Transtorno do Espectro Autista. Já o Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade surge, por vezes, mais à frente do desenvolvimento, como no período escolar”, acrescenta.

Conforme Emanuele, é preciso estar atento aos sintomas. “O Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) apresenta prejuízo no controle atencional, ou seja, de manter a atenção nas atividades, prejuízo motor: dificuldade de controle do seu corpo, uma inquietude, dificuldade em esperar e prejuízo no controle emocional, que é em controlar suas emoções e impulsividades associadas”.

Já o Transtorno de Comunicação é identificado através dos prejuízos na fala e linguagem. “Quando a criança tem déficits na leitura, escrita e raciocínio lógico são sinais de um Transtorno Específico de Aprendizagem. Ao apresentar atraso nas habilidades motoras grossas e finas, a probabilidade é de um Transtorno Motor”, esclarece.

Quanto à Deficiência Intelectual, ela se caracteriza pelo comprometimento do funcionamento cognitivo, ficando abaixo do que é considerado normal e, consequentemente, compromete o domínio conceitual, social e prático.

E o Transtorno do Espectro do Autismo apresenta algumas funções neurológicas que não se desenvolvem como deveriam nas respectivas áreas cerebrais das pessoas acometidas por ele. “Isso faz com que apresente vários sintomas diferentes de socialização inadequada, dificuldade de comunicação e interesses restritos”.

Em síntese, para o diagnóstico de qualquer Transtorno do Neurodesenvolvimento é importante buscar avaliação de um ou mais profissionais. “Lembre-se quando o tratamento é feito cedo, contribui para o desenvolvimento e aprendizagens satisfatórias junto à probabilidade de independência e autonomia aumentar”, finaliza.

Sobre a profissional

Emanuele Barreta é Pedagoga, Psicopedagoga, Mestre em Educação e Especialista em Transtornos de Aprendizagem e Autismo.