Em coletiva de imprensa, realizada na manhã desta terça-feira, 16 de junho o prefeito municipal de Frederico Westphalen, Roberto Felin Junior, e o presidente do Hospital Divina Providência (HDP), Edson Mendonça, anunciaram a opção de postergar por mais um ano a abertura da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), localizada no bairro Fatima. Os cortes de recursos anunciados pelos governos federal e estadual foram apontados como um dos motivos da decisão. De acordo com o prefeito para manter a UPA aberta hoje, seria preciso optar entre manter o convenio com o HDP que oferece hoje atendimento especializado em traumatologia, cirurgia geral, obstetrícia, pediatria e anestesia, além do plantão, ou se ter uma Unidade como porta de entrada. “Nós estamos tomando a melhor decisão para Frederico Westphalen. Ou eu mantenho e melhoro aquilo que a população tem de fato de atendimento, ou eu abro a UPA que encaminha após um atendimento primário, para as referências fora do município, deixando HDP que fica a 200 metros, para um hospital a 80, 100 quilômetros”, destacou. O presidente do HDP, Edson Mendonça ressaltou que o hospital continua sendo parceiro do município para a abertura da unidade, mas que não pode comprometer financeiramente a entidade, assumindo compromissos que hoje fogem a seu orçamento. “Assumimos o compromisso com a população e com os vereadores e continuamos parceiros, porém não podemos comprometer nossa entidade. Não podemos cometer equívocos que possam refletir lá na frente”, observou Mendonça. Legislativo O presidente da câmara de vereadores Paulo Donin de Lima, destacou que essa não foi uma decisão tomada em conjunto com os edis e que nos próximos dias a entidade deverá se pronunciar sobre o assunto. Confira mais informações na edição impressa desta sexta-feira, 19 de junho.

Heloise Santi saude@folhadonoroeste.com.br]