Um estudo preliminar indicou que pessoas imunizadas com a vacina coronavac podem precisar de 2 doses de reforço contra a variante ômicron do coronavírus. A pesquisa foi publicada no site especializado medRxiv e envolveu mais de 100 participantes. Cientistas da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, do Ministério da Saúde da República Dominicana e de outras instituições participaram do estudo. 

Aplicada no Brasil e em outros 47 países, a coronavac apresentou eficiência limitada contra a ômicron, variante do vírus causador da covid-19. "Em termos de saúde pública, 2 doses de CoronaVac são insuficientes para neutralizar o Omicron. Portanto, quem tomou CoronaVac pode precisar de 2 doses de reforço adicionais para atingir os níveis necessários contra Omicron", afirmou Akiko Iwasaka, professora da Escola de Medicina da Universidade de Yale.

É bom destacar que o estudo se trata de um preprint, isto é, uma versão preliminar do artigo definitivo, sujeita a ajustes. O Brasil fechou 2021 com 619.109 pessoas mortas pela covid-19 desde o começo da pandemia e 22,2 milhões de brasil.

Mais de 140 milhões de brasileiros estão com a imunização completa, ou seja, já tomaram a dose única ou a segunda dose da vacina.

*Com informações UOL