Excesso de responsabilidades, chateações em casa ou no trabalho, ‘sapos engolidos’, ansiedade e preocupações. Estas são situações que ocorrem no dia-a-dia da maioria das pessoas, e as emoções geradas por elas têm um destino certo: a musculatura. Sem que possamos perceber, começamos a segurar o telefone com mais força, a apertar a mandíbula, a manter os ombros curvados e a contrair os músculos das costas. 

Conforme a terapeuta Aneiza Lucas, a tensão muscular pode ser usada como um bom indicador do estresse físico e emocional. “Toda tensão psicológica ou física se traduz por um aumento da tensão muscular, que tem como função preparar o corpo para uma situação de defesa. Quando essas situações ultrapassam o limite do organismo suportar o estresse, existe um processo de não recuperação do organismo, produzindo então, a tensão muscular excessiva. Esta tensão faz você enrijecer a musculatura até o seu corpo pedir socorro”, explicou.

Este enrijecimento causa dor porque na área contraída a circulação do sangue fica mais difícil e a oxigenação dos tecidos é prejudicada, impedindo assim a eliminação de toxinas.

– O incômodo é pior se a tensão no local chega a comprimir os nervos. Aí começam as dores e, para relaxar e aliviar o incômodo, nada melhor do que uma boa massagem – orientou Aneiza.

O Zen Shiatsu é uma massagem de origem oriental que se baseia no reequilíbrio físico e energético do organismo. De acordo com Aneiza, nosso corpo armazena emoções, sentimentos e reflete nosso estado emocional. “Quando pressionamos uma área onde a energia está bloqueada, não só chamamos a atenção do paciente para ela, como também através da pressão ajudamos o bloqueio a se dissolver”, afirmou.

Esta é uma técnica mais vigorosa, indicada para melhorar a flexibilidade, manter os músculos livres de dores, estimulando o livre fluxo da energia vital, além de ajudar a desenvolver mais a consciência corporal.

– Quando há algo errado com nosso corpo, ele costuma nos enviar sinais de alerta nos quais, muitas vezes, não prestamos atenção. Assim, pequenos problemas podem ir se acumulando até nos sentirmos fadigados, sem energia para realizar mesmo as mais simples tarefas. Daí a importância de estarmos atentos às reações do nosso corpo, investindo em nossa saúde buscando mais energia para nossas vidas, consequentemente, mais qualidade de vida –, argumentou.

Catiana de Medeiros